24/11/2015 - Pedro Taques será um dos líderes de comitiva da Amazônia, uma da mais assediadas na COP 21 em Paris

24/11/2015 -  Pedro Taques será um dos líderes de comitiva da Amazônia, uma da mais assediadas na COP 21 em Paris

Se o mundo deseja respirar, terá de pagar royalties para a Amazônia Legal produzir Crédito de Carbono diante da poluição e alterações climáticas. A proposta de Mato Grosso, aprovada no Encontro dos governadores da Amazônia Legal, será a principal da região durante a 21ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP21), prevista para acontecer de 30 de novembro a 11 de dezembro, em Paris (França), envolvendo 196 países.
 
Articulador das principais propostas, o governador José Pedro Taques (PSDB) observou que o mundo está de olho para a Amazônia e isso deve ter valor agregado. “Para que continuemos avançando nós precisamos de apoio e especialmente de recursos. Temos que conseguir avançar e a contribuição deve vir de fora”, avaliou ele.    
 
Pedro Taques entende que deve ser reforçada a ideia é de que se possa constituir uma pessoa jurídica para defender os interesses da região, buscar recursos, operações de crédito internacionais e também viabilizar o Fundo Amazônia.
 
Por iniciativa de Taques, o Fórum dos Governadores da Amazônia traçou planos e metas dos nove estados para a 21ª conferência do Clima (COP 21), em Paris, seus avanços na redução das emissões de gás carbônico. Ele também sugeriu que seja apresentada, na França, a recém-criada  Rede de Inteligência Ambiental da Amazônia Legal, para que de forma inteligente os estados possam trocar estas informações como ferramenta para enfrentar os crimes ambientais.
 
Pedro Taques deseja mostrar ao mundo, na França, que a questão da sustentabilidade não pode ser vista apenas na sua perspectiva ambiental, mas na perspectiva econômica, social e política. “Esta é a mensagem no que diz respeito a questão climática”, pontuou, para a reportagem do Olhar Direto.
 
Outro tema a ser debatido com a Fundo das Nações Unidas para a infância (Unicef), em Paris, é a  “Agenda Criança Amazônica”. É essencial o compromisso em articular ações para enfrentar os desafios regionais e garantir políticas públicas para melhorar os índices de desenvolvimento humano das crianças na Amazônia, assim como reduzir índices de doenças, analfabetismo e a taxa de mortalidade, entre outras.

 

 

 

Da Redação - Ronaldo Pacheco

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário