25/02/2011 - 10h:50 Riva diz que 'forças externas' agem contra CPI das PCHs

O deputado José Riva (PP) informou que existem “forças externas” contrárias à abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a concessão de licenças para Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e por isso os deputados estão se respaldando antes de apresentar o requerimento em plenário.

“A CPI precisa ser feita com total segurança porque existem forças externas contrária, trabalhando para derrubar a CPI. Alegam que irá atrapalhar a Sema, isso é mentira. A CPI irá agir em cima e um setor e a secretaria ficará até mais livre para trabalhar. Temos de escolher o caminho com a menor possibilidade de errar”, afirmou em entrevista nessa quinta-feira (24).

Riva destacou que existem denúncias consistentes de que o Estado não obedece ao princípio da isonomia, privilegiando empresários. “Existem usinas viáveis e não viáveis, dependendo de quem pede”, afirmou, após contar que possui uma acusação de três laudas.

O requerimento da CPI, de autoria do deputado Sérgio Ricardo (PR), já possui 11 assinaturas, mas Riva quer ampliar o número de deputados favoráveis à comissão para poder evitar que o recuo de algum parlamentar anule a abertura da CPI.
 
Desde que a Assembleia iniciou a articulação para investigar as concessões de licenças para usinas, o setor está em alerta e já tem incomodado alguns empresários que atuam na área. O setor de usinas hidrelétricas em Mato Grosso é dominado pelos grupos AMaggi, de propriedade do senador Blairo Maggi, Três Irmãos, do ex-deputado Carlos Avalone, e Bom Futuro, do produtor Eraí Maggi, primo do ex-governador.

 

Da Redação - Alline Marques