25/03/2014 - Sobrecarga na rede deixa Hospital Adauto Botelho sem energia

Um problema de sobrecarga na rede elétrica do Centro Integrado de Apoio Psicossocial (Ciaps) conhecido como Hospital Adauto Botelho, em Cuiabá, deixou a unidade sem energia nesta segunda-feira (24). O “apagão” ocorreu na parte da manhã, se estendeu por toda a tarde e no início da noite não havia sido solucionado. O diretor do hospital, Helder Barbosa Silva, disse que a previsão é que seja solucionado até às 21h, pois a Secretaria Estadual de Saúde (SES) já autorizou a compra dos cabos de energia que derreteram e também de uma chave que queimou.

No escuro, foi preciso utilizar lanternas e velas para iluminar o local, atender os pacientes e evitar possíveis fugas. Atualmente, existem cerca de 70 pacientes na unidade psiquiátrica que trata de pessoas não só de Cuiabá e Várzea Grande, mas também de cidades do interior do Estado.

Apesar de ter circulado boatos de que teriam sido registradas algumas tentativas de fugas por parte de pacientes, o diretor negou e garantiu que isso não aconteceu. “Não teve nada disso. De maneira alguma houve tentativa de fuga. Os serviços essenciais não pararam, ocorreram normalmente”, assegurou Helder explicando que o problema já foi solucionado restando apenas aguardar a chegada dos equipamentos e de uma equipe especializada para fazer a troca e instalação.

De acordo com o diretor, o que houve foi uma sobrecarga na rede devido à grande quantidade de equipamentos ligados, entre ar condicionado, computadores e outras máquinas. Assim que o problema foi detectado, ainda pela manhã, a Rede Cemat foi acionada e enviou uma equipe ao hospital. Foi constatado tratar-se de um problema interno de forma que a concessionária não poderia solucionar. Dessa forma, o diretor acionou a Secretaria Estadual de Segurança responsável pela administração do hospital e informou sobre o problema e a necessidade urgente de solução.

Apesar disso, o hospital continuava sem energia no começo da noite. Com a sobrecarga, parte da fiação que já é velha, começou a derreter e o padrão foi desligado. “Foi uma sobrecarga natural, que pode ocorrer em qualquer lugar, em qualquer casa ou outro estabelecimento”, justificou o diretor do Hospital Adauto Botelho garantindo que as equipes médicas não pararam os atendimentos em nenhum momento. “Os cuidados não diminuíram em função do problema”, destacou ele.

A Assessoria de imprensa da SES foi procurada pela reportagem, mas os telefonemas não foram atendidos.

 

Welington Sabino

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário