25/04/2011 - 10h:05 Ex-apresentador será ouvido novamente por delegada

Bruno Davi Borsatti teria abusado de menino de 11 anos desde 2006; defesa de acusado diz ter novos elementos para o inquérito policial

O ex-apresentador de TV Bruno Davi Borsatti, 28, acusado por supostas práticas sexuais cometidas contra um menor de 11 anos, deve ser ouvido novamente  nesta semana pela delegada Daniela Maidel, da Delegacia de Defesa da Mulher, Criança e Idoso de Várzea Grande, que conduz as investigações.
Ao MidiaNews a delegada informou que o pedido foi feito pela defesa do rapaz que, segundo investigações da Polícia, teria cometido os crimes sexuais entre 2006 e 2009. Até semana passada a defesa do ex-apresentador não havia se posicionado.
"A defesa afirmou que teria novos fatos para apresentar. Partindo deste princípio, nós entendemos que vai ser bastante oportuno o Bruno falar novamente. Portanto, ele será ouvido", disse Daniela.
Na segunda-feira (11) passada, a delegada ouviu testemunhas de acusação próximas à família da vítima e do suspeito. Conforme ela, haveria a possibilidade de outros abusos terem ocorrido em um grupo de jovens ao qual o suspeito faz parte.
O ex-apresentador foi preso no dia 7 de abril, no momento em que saía de sua residência, no centro de Várzea Grande. Desde a prisão, Bruno está na sede da Polinter, por ter curso superior.
A respeito do depoimento das testemunhas, Daniela não quis dar informações. Segundo ela, enquanto o rapaz não for ouvido novamente é melhor que nada seja divulgado.
Em função de se tratar de réu preso, a investigação deve ser concluída em dez dias. Em seguida, o caso será encaminhado ao Ministério Público Estadual, para oferecimento ou não de denúncia.
O caso veio à tona na primeira semana de abril, quando os pais do menino supostamente abusado procuraram a delegacia. De acordo com Daniela, Bruno se aproveitava da confiança que tinha junto à família do menino para praticar os abusos.
"À época o menino ficou amargurado e passou por um grande sofrimento. Então os pais estranharam seu comportamento e procuraram um psicólogo. Com o tratamento, depois desse tempo todo, ele decidiu admitir que sofreu abusos. Os pais, então, foram orientados a procurar a Polícia", explicou a delegada.

 

MidiaNews / Orkut

ISA SOUSA
DA REDAÇÃO