25/05/2015 - CPI pede cassação de prefeito

25/05/2015 - CPI pede cassação de prefeito

Por unanimidade de votos dos vereadores de Barão de Melgaço, 102 km de Cuiabá, aprovaram relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI que aponta para uma série de irregularidades cometidas pelo prefeito Antônio Ribeiro Torres (PMDB), e formalizaram os resultados das investigações na Promotoria local e vão apresentar as mesmas denúncias na próxima semana ao chefe do Ministério Público Estadual, Paulo Roberto Jorge do Prado e para o presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso, conselheiro Waldir Júlio Teis. 

 

Segundo o vereador Francisco Odenilson (PROS), mais conhecido como Dena, que presidiu a CPI a farta documentação levou o parecer apresentado pelo vereador Edenaldo Leopoldino Dias (PROS) e Luiz Rodrigues Moura (PMDB) a decidirem após a votação unanime do relatório final, em apresentar os documentos aos órgãos de controle externo para que a medida de cassação do prefeito Antônio Ribeiro Torres se desse em caráter definitivo. 

 

“São denúncias que vão desde a não prestação de contas dos convênios do município, passando por gastos desnecessários com combustíveis tanto cedidos pelo Estado quando os adquiridos pelo município de Barão de Melgaço, até mesmo a aquisição de uma Ambulância como Zero KM e que tinha quatro anos de uso”, disse Dena, presidente da CPI. 

 

O relatório da CPI aponta para uma aquisição de medicamentos no final de 2013, que só aconteceu para a administração conseguisse atingir os 15% exigidos na Lei Federal para todos os municípios. 

 

“De tanto os vereadores cobrarem e ameaçar, somente em maio, após investigação é que o prefeito conseguiu fazer a entrega dos remédios adquiridos em novembro do ano passado. Ele mandou empenhar, comprar como se os produtos fossem ser utilizados no exercício de 2013, para em maio de 2014, seis meses depois providenciar a entrega dos referidos medicamentos adquiridos”, sinalizou o vereador Francisco Odenilson. 

 

Os vereadores querem ser recebidos em comissão tanto no Ministério Público Estadual como no Tribunal de Contas de Mato Grosso para realizarem a entrega de todos os documentos que foram possíveis recolherem, inclusive o depoimento de um empreiteiro que confirma ter dado uma nota por serviços no valor de R$ 14 mil, que fazia parte de reforma total de uma escola municipal orçada em 125 mil. 

 

“O empresário declara textualmente em ata na CPI ter dado nota a pedido da prefeitura de Barão de Melgaço, por serviços não realizados”, disse o vereador e presidente da CPI, Francisco Odenilson, mais conhecido como Dena.

 

 

 

 
B. MELGAÇO

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário