25/06/2014 - O trabalho da Aliança da Terra com a comunidade Xavante em Marãiwatsédé

Fundada em 2004 como uma resposta ao rápido avanço da fronteira agrícola, especialmente no nordeste do Mato Grosso, a Aliança da Terra é formada por produtores rurais comprometidos com o conceito Produzindo Certo, em promover um ambiente rural produtivo aliado à responsabilidade social e correta gestão dos recursos naturais. Desde 2009, a Aliança da Terra, organização sem fins lucrativos 100% brasileira, possui o certificado de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), concedido pelo Ministério da Justiça do Brasil, um atestado de sua extrema transparência administrativa nas operações, garantindo a qualquer cidadão o acesso às contas da instituição.

Nos últimos dez anos, a Aliança da Terra, pautada na imparcialidade, integridade e respeito, tem trabalhado para desenvolver e implementar no campo soluções para melhoria do ambiente rural brasileiro, conciliando necessidades humanas e ambientais. O trabalho junto à comunidade Xavante, na terra indígena Marãiwatsédé , é uma herança do fundador da organização, John Carter, e representa o comprometimento que a AT carrega em sua missão. Produtor rural e, à época, em meados dos anos 1990, vizinho da terra indígena em questão, Carter, antes mesmo da formação da Aliança da Terra, se mobilizou na tentativa de remediar a situação de degeneração social e descaso enfrentado pela comunidade. 

Nos últimos oito anos, e com a ajuda de um parceiro filantrópico, a Aliança da Terra investiu em três projetos que asseguram condições alternativas de desenvolvimento econômico e social dos Xavantes: o primeiro deles, a criação de um rebanho bovino de tamanho comercial, com estruturas de curral, cercas e bebedouros, e cuja receita das vendas do gado é totalmente revertida para o sustento da própria comunidade. O segundo projeto foi destinado à infraestrutura de saneamento básico através da construção de um poço artesiano e um reservatório de água potável. 

Por fim, a Aliança da Terra treinou e equipou cerca de 70 brigadistas Xavantes com o Corpo de Bombeiros e Serviço Florestal americano para que a comunidade pudesse controlar o fogo em suas terras e em terras de fazendeiros vizinhos de forma efetiva e rápida. Foram executadas também ações educativas sobre o uso correto do fogo, de modo a preservar as raízes e tradições culturais, sem, no entanto, desencadear incêndios e prejuízos ambientais. 

Dessa forma, a Aliança da Terra vem trabalhando para superar desafios e se tornar uma referência proativa nas questões de sustentabilidade aplicadas à realidade da agropecuária brasileira. Nesta missão, incluem-se os diversos atores desse meio, sejam eles produtores rurais, comunidades locais e indígenas, instituições científicas e governamentais.

 

Marcos Reis - Diretor Geral da Aliança da Terra

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário