25/06/2016 - Pedro Taques manda estabelecer prioridade para aumento de 15% recursos da saúde para construir três hospitais regionais em MT

25/06/2016 - Pedro Taques manda estabelecer prioridade para aumento de 15% recursos da saúde para construir três hospitais regionais em MT

Ao contrário da movimentação ocorrida nos últimos anos, quando houve até mesmo fechamento de hospitais, o governador José Pedro Taques (PSDB) estabeleceu como prioridade o aumento de 15% nos investimentos da saúde pública. Ele se reuniu com a equipe da Secretaria de Estado de Saúde (SES), de forma a assegurar que seja majorado de R$ 1,47 bilhão de recursos atuais para R$ 1,69 bilhão entre 2017 e 2018, o maior índice de crescimento das últimas três décadas.
 
E Pedro Taques consegue a melhor explicação para esse acréscimo de receita orçamentária na SES: ampliar o número de leitos hospitalares públicos, construir novos hospitais regionais e reformar a sede da SES e também a Central de Distribuição de Medicamentos. Em mais de uma oportunidade, o chefe do Poder Executivo já manifestou intenção de construir três novos hospitais em Mato Grosso, além do novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá, em parceria com o prefeito mauro Mendes, com previsão de ser concluído em 2017. 

Essas futuras ações de governo para a área da Saúde foram debatidas em reunião nesta manhã de sexta-feira (24) entre Taques e o secretário Eduardo Bermudez, titular da pasta. No encontro, realizado no Palácio Paiaguás, ficou definido também que haverá alteração no modelo de gestão de alguns hospitais regionais.
 
“Fizemos um mapeamento e descobrimos que para cada região há a necessidade de uma gestão hospitalar diferente. Em Rondonópolis, a comunidade e a classe política defendem a permanência da OSS [Organizações Sociais de Saúde]. Já no Vale do Teles Pires, os prefeitos pedem que eles, por meio do consórcio regional, assumam a administração do hospital. Diante disso vamos respeitar a necessidade de cada região e realizar a transição de gestão onde for necessário e mais adequado“, explicou o secretário de Saúde.
 
Em se tratando de mudanças de gestão, foi conversado durante a reunião, que a Central de Regulação será reestruturada. A proposta será estender o Sisreg (Sistema Nacional de Regulação) aos 141 municípios de Mato Grosso. A previsão é fazer isso até o final de 2016, permitindo que todas as cidades do Estado tenham acesso ao sistema online de gerenciamento regulatório de internação hospitalar.
 
“Com essa reestruturação da central passaremos a ter um controle maior sobre disponibilidade de vagas dos leitos hospitalares e, consequentemente, uma visão mais clara de onde são necessários maiores investimentos junto às unidades de saúde do Estado”, completou Bermudez.
 
 
Entre as ações previstas para a Secretaria de Estado de Saúde está também a reforma do prédio que abriga a pasta. Instalada em um prédio construída há 20 anos, boa parte da estrutura física da secretaria possui infiltrações e rachaduras. O mesmo ocorrerá na Central de Distribuição de Medicamentos.
 
Ampliação dos leitos
 
Atualmente Mato Grosso possui um déficit de 600 leitos hospitalares. Segundo Eduardo Bermudez, para diminuir esse número o Governo do Estado se propõe a construir três novos hospitais regionais, sendo um em Tangará da Serra, um em Porto Alegre do Norte o outro em outra cidade a ser definida nos próximos meses, respeitando assim a necessidade regional.
 
“Além disso passa também pelo nosso plano de ação locar leitos de UTIs e passar a oferecer em cada hospital regional o numero de 150 vagas para internação. Com isso esperamos em dois anos acabar com a falta de leitos públicos no Estado”, acrescentou o secretário.

 

 

 

Da Redação - Ronaldo Pacheco

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário