25/07/2014 - Músicas Vencedoras do Festival Araguaia da Canção não cumpriram o regulamento

Paulo Manarco nasceu em Minas Gerais e mudou-se para  Cuiabá ainda criança, venceu, no último sábado (19/07) representa o estado de São Paulo – SP, um dos festivais mais concorridos do Araguaia, 22º Festival Araguaia da Canção (FAC) que acontece todos os anos na Temporada de Praia de São Félix do Araguaia – MT. Paulo Monarco concorreu com a bela canção “Ame”. Até aí tudo bem.

 

O problema é outro: Art. 6.º – As músicas deverão ser inéditas (são consideradas inéditas as músicas com melodias, letras e arranjos não editadas ou gravadas comercialmente, não podendo ter sido gravadas em LPs, CDs, etc..., veiculadas em rádios, Tv’s e ou internet ou terem participado de peças publicitárias veiculadas e nem divulgadas em mídia na internet); Confira no regulamento do festival. A música Ame” (Paulo Monarco + Kleuber Garcez) já venceu vários festivais sempre representando a cidade de Cuiabá – MT e em parceria com Dandara. A letra da música “Ame” já está na internet há tempo. Com a cantora e atriz Dandara desenvolve o projeto Dois Tempos de Um Lugar (com direção e roteiro de Vinicius Calderoni, cenografia de Patricia Black e figurinos de Caroline Ricca Lee), assinando a autoria da maior parte das canções (parcerias com Celso Viáfora, Suely Mesquita, Zeca Baleiro, entre outros jovens compositores) onde a música "Ame" faz parte do projeto.

O participante Flavio Costa de Peixoto de Azevedo que interpretou a música Banana Bananeira descobrimos que também já foi gravada por Beto Santos no 10º Festival de Música de Muzambinho - MG a 7ª música do CD 2.

Numa breve pesquisa na internet, facilmente se encontram referências ao cantor e a referido a música interpretada pelo mesmo  no Festival Araguaia da Canção do ano de 2013, Paulo Monarco interpretou outra canção já  gravada no CDMalabares com Farinha” que se consagrou vencedor. Visto que a música “Ame” está disponível na internet no youtube. Como não bastasse além da música vencedora do FAC ter mais de 3000 acesso na internet apenas em um dos links ainda tem outros vários vídeos com acesso publicado no youtube com um número surpreendente  de exibições, veja uns dos links: https://www.youtube.com/watch?v=zbb05fS82CI - 3.403 e https://www.youtube.com/watch?v=DynGA7yKT34 - 2.596 dentre outros números.

 

A polêmica instalou-se entre alguns participantes que sentiram prejudicados pela premiação não merecida pelo fato de desrespeitar o regulamento, o que aponta para o esvaziamento do festival que precisa ser repensado, e se tornar atrativo para o próximo ano.  E que a comissão organizadora se interessa analisar material antes do festival através de buscas na internet. O regulamento estipula o ineditismo das músicas inscritas no festival e que obras não sejam reproduzidas em larga escala e comercialmente.

 

Paulo Monarcar é um “rato” de festivais, conta com "qualidade" e profissionalismo o que não pode deixar de falar, já tendo vencido várias edições de festivais inclusive com a música “Ame” já venceu: 30ª Feira Avareense de Música Popular – Avaré-SP - 2º lugar, Fampop - 2012 Avaré-SP - 2º lugar – Paulo,  6º Ipê Fest - Festival de Música Popular do Ipê Clube de São Paulo - SP - 1º Colocado, 15º Festival da Canção de Andradas - MG (2013): 1º Lugar, 12º Festival Nacional de Música de Colatina – ES (Festcol). 2ª Lugar, Festival Botucanto: 1º Lugar, FAM (Festival de Música da Alta Mogiana) 4ª edição: 3º Lugar, Ribeirão Preto – SP, 25º Festival Universitário da Canção (FUC): 2ª Colocada: Ponta Grossa – PR, 14º Festival de MPB Pereira Barreto: 10º lugar – SP. No entanto não faz sentido, os outros participantes cumpriram o regulamento do festival mantendo a originalidade e obediência e ele não.

 

Quanto a criação da categoria gospel que fosse colocado júri competente nessa categoria, pois foi criada a categoria gospel e os jurados continuou os mesmos, um dos jurados comentou a falta de um júri dessa categoria, pois segundo o jurado algumas palavras bíblicas eles não sabem o significados. O regulamento sofreu alteração, alguns obedeceram ao regulamento e outros não? Inclusive o vencedor. Acho que foi falho por parte da comissão organizadora não fazer uma pesquisa nas músicas que são enviadas antes do festival. Quanto à qualidade do FAC com a alteração no regulamento houve uma queda de 2013 para 2014 e muitos participantes que sempre esteve esse ano não se inscreveram, ou seja, deixaram de participar.

 

Alguns participantes reclamaram que na música do participante Paulo Monarco houve um jogo de luz como se fosse um show profissional e nos outros participantes não houve nada disso. Sempre quando Paulo Monarco Flavio Costa e Luth Peixoto subiram ao palco tudo ficava perfeito, como microfone, luz, enfim além dos participantes algumas pessoas que assistiram o 22º FAC estão criticando. A desigualdade começa na excelente qualidade de som e iluminação para alguns e microfonia, microfone desligado e qualidade de som péssima para outros.

 

Participantes afinavam instrumentos no palco quando no capítulo III - dos critérios de participação, artigo 7.º item I e II diz o seguinte: Será eliminada do festival, a canção em que o instrumentista ou interprete afinar seu instrumento em palco posterior ser anunciado a sua apresentação; Os instrumentos de uso próprio dos concorrentes deverão estar afinados e passados o som com antecedência em canal separado pelo técnico de som do evento;

 

Com alteração no regulamento faltou também cumprir capítulo II - da organização, Art. 2º  que afirma o seguinte:

 

a)    Para a final, dia 20/07/2014, as notas serão lançadas na planilha em telão ao vivo, porém não será mostrada a ordem de classificação dos candidatos, que será apresentada somente pelo apresentador oficial do FAC-2014, no palco do evento. Posterior ao anuncio dos vencedores as notas e ordem de classificação será exposta no telão para serem conferidas pelos interessados;

 

VIII – Fazer a somatória da pontuação de cada música dos candidatos, que deverá ser exposta em planilha por ordem de classificação do candidato, em telões ao vivo, posterior a sua apresentação e avaliação de cada jurado, com o intuito de evitarem-se fraudes nas classificações, apurações finais;

 

Uma sugestão para o próximo ano que ao invés de papel, os jurados possam acompanhar as músicas através de um tablet com acesso à internet para que os mesmo  façam uma pesquisa antes de darem as notas.

 

Com alteração no regulamento faltou também cumprir capítulo II - da organização, Art. 2º  que afirma o seguinte:

a)    Para a final, dia 20/07/2014, as notas serão lançadas na planilha em telão ao vivo, porém não será mostrada a ordem de classificação dos candidatos, que será apresentada somente pelo apresentador oficial do FAC-2014, no palco do evento. Posterior ao anuncio dos vencedores as notas e ordem de classificação será exposta no telão para serem conferidas pelos interessados;

 

VIII – Fazer a somatória da pontuação de cada música dos candidatos, que deverá ser exposta em planilha por ordem de classificação do candidato, em telões ao vivo, posterior a sua apresentação e avaliação de cada jurado, com o intuito de evitarem-se fraudes nas classificações, apurações finais;

 

 

“A verdade sempre aparece mais cedo do que você imagina”

 

 

 

Vanessa Lima/O Repórter do Araguaia

 

Comentários

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC

Porém, com relação à Comissão Julgadora, acredito que seja importante se investir sim. Pense bem que se os jurados já conhecem o trabalho de um artista do Mato Grosso, logo irão votar a favor desse artista. Por isso diversificar é necessário. Vou citar por exemplo um festival universitário que já fui com minha banda, mas todo ano é o mesmo time de jurados, o FUNMUSIC. Não tem jeito, o Kid Vinil só gosta daquelas bandinhas juvenis de pouca categoria, que sempre fazem as mesmas musiquinhas. Os outros são parte de uma elite de festivais. E se vocês me passarem um e-mail, posso dizer quem será o vencedor do FUNMUSIC desse ano. Querem apostar? Esse eu não erro. Ainda não sei quem serão os concorrentes, mas vendo a lista e acerto. Festival tem disso.

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC

OBSERVAÇÃO: Agora o cidadão questionar uma gravação caseira, que está no CD de Música de Muzambinho? Um CD que nem se você oferecer por R$ 1,00 ninguém compra, porque é um CDzinho de Festival, é lamentável essa discussão. Não sei quem é mais apequenado... Se a pessoa que discute gravações em CD de festivais ou quem é pequeno demais pra realizar choros e lamentações de PERDEDORES inconformados com possíveis quebras da regra do jogo. Se eles tivesse ganho desse tal de Paulo Monarco, iriam divulgar na imprensa: OH! VENCEMOS O GRANDE PAULO MONARCO, num festival de tantas músicas maravilhosas e geniais!!! Isso nunca.

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC


MINHA OPINIÃO...

o que é uma obra inédita pra você que me lê aqui? o que é uma canção inédita pra você? uma canção inédita é toda aquela obra musical, que não consegue um espaço diante dessa mídia globalizada atual, que não permite que bons compositores tenham oportunidade de mostrar que estão vivos, criando e produzindo músicas de qualidade...
porém, aqueles compositores medíocres, que fabricam projetos apequenados, obras musicais ao mesmo estilo pobre daquilo que a mídia insípida e ignorante nos joga na cara todos os dias, vem aqui apenas fazer esse tipo de reclamação pobre e pequena... gente que não aprendeu vencer com a qualidade dos seus trabalhos... sou então da opinião que se deva fazer dois tipos de festival em um só: um aberto somente para músicos da cidade, comunidade ou região e outro aberto, pra que aceite um festival livre e sem essa doença de julgar a competência dos outros pelo número de outros festivais que a música já ganhou... se fosse assim, o grande e maravilhoso Nilson Chaves de Belém do Pará, nunca seria conhecido pelo grande talento de compositor e cantador... claro que precisa se moralizar os festivais... claro que se pode colocar regras do tipo a música não pode ter sido vencedora em primeiro lugar, mas para cobrar isso, o festival tem que oferecer subsídios para levar esses grande e emergentes compositores da nova safra da mpb...

o que tem que mudar são os regulamentos... é preciso se repensar como discutir essa coisa do ineditismo. o que é inédito para o regulamento? a música não pode ter aparecido na internet? poxa a internet veio pra ser um apoio e auxílio do artista alternativo, mas se ele quer participar de um “festivalzinho”, não pode colocar sua obra na net... o que vale mais, algumas moedas de um festival, ou colocar sua obra a ser conhecida? você enquanto compositor precisa mostrar que está vivo... considerar inédita a obra que saiu num cd alternativo de até 1.000 cópias independente? considerar inédita a música de compositores não profissionais? considerar inédita a música não vencedora nos três primeiros lugares de outros festivais??? você acha que isso muda o quadro? já fui em festivais que no juri havia músicos, que já fizeram parte da banda do vencedor do festival em outras épocas e que até ex-esposa do concorrente estava na juri.. aí sim, isso é ganhar no tapetão.

quem deve mudar urgentemente são os regulamentos desses tantos festivais de músicas inéditas que existem por aí... mas o problema nem sempre está nos concorrentes, mas sim em quem organiza. sabemos que existem casos de organizadores que classificam alguns tantos amigos nos seus festivais e já acertam uma comissão para o amigo vencer o festival. Acreditem ou não. Isso é dinheiro público. Festival é um projeto público. Enquanto vocês ficam discutindo coisas pequenas, outros tantos festivais estão por aí dando a volta na gente. Enquanto existir a falta de lisura e o desrespeito, nada disso vai mudar e muita gente ainda vai ganhar festival somente com uma ligação telefônica.

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC

MINHA OPINIÃO...

o que é uma obra inédita pra você que me lê aqui? o que é uma canção inédita pra você? uma canção inédita é toda aquela obra musical, que não consegue um espaço diante dessa mídia globalizada atual, que não permite que bons compositores tenham oportunidade de mostrar que estão vivos, criando e produzindo músicas de qualidade...
porém, aqueles compositores medíocres, que fabricam projetos apequenados, obras musicais ao mesmo estilo pobre daquilo que a mídia insípida e ignorante nos joga na cara todos os dias, vem aqui apenas fazer esse tipo de reclamação pobre e pequena... gente que não aprendeu vencer com a qualidade dos seus trabalhos... sou então da opinião que se deva fazer dois tipos de festival em um só: um aberto somente para músicos da cidade, comunidade ou região e outro aberto, pra que aceite um festival livre e sem essa doença de julgar a competência dos outros pelo número de outros festivais que a música já ganhou... se fosse assim, o grande e maravilhoso Nilson Chaves de Belém do Pará, nunca seria conhecido pelo grande talento de compositor e cantador... claro que precisa se moralizar os festivais... claro que se pode colocar regras do tipo a música não pode ter sido vencedora em primeiro lugar, mas para cobrar isso, o festival tem que oferecer subsídios para levar esses grande e emergentes compositores da nova safra da mpb...

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC

o que tem que mudar são os regulamentos... é preciso se repensar como discutir essa coisa do ineditismo. o que é inédito para o regulamento? a música não pode ter aparecido na internet? poxa a internet veio pra ser um apoio e auxílio do artista alternativo, mas se ele quer participar de um “festivalzinho”, não pode colocar sua obra na net... o que vale mais, algumas moedas de um festival, ou colocar sua obra a ser conhecida? você enquanto compositor precisa mostrar que está vivo... considerar inédita a obra que saiu num cd alternativo de até 1.000 cópias independente? considerar inédita a música de compositores não profissionais? considerar inédita a música não vencedora nos três primeiros lugares de outros festivais??? você acha que isso muda o quadro? já fui em festivais que no juri havia músicos, que já fizeram parte da banda do vencedor do festival em outras épocas e que até ex-esposa do concorrente estava na juri.. aí sim, isso é ganhar no tapetão.

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: FESTIVAL ARAGUAIA - FAC

quem deve mudar urgentemente são os regulamentos desses tantos festivais de músicas inéditas que existem por aí... mas o problema nem sempre está nos concorrentes, mas sim em quem organiza. sabemos que existem casos de organizadores que classificam alguns tantos amigos nos seus festivais e já acertam uma comissão para o amigo vencer o festival. Acreditem ou não. Isso é dinheiro público. Festival é um projeto público. Enquanto vocês ficam discutindo coisas pequenas, outros tantos festivais estão por aí dando a volta na gente. Enquanto existir a falta de lisura e o desrespeito, nada disso vai mudar e muita gente ainda vai ganhar festival somente com uma ligação telefônica. .

Data: 01/08/2014

De: Albino

Assunto: FAC 2014

Depois de ler os comentários (todos), tirando fora os podres individuais, dá pra perceber a insatisfação generalizada com a comissão por dois motivos: pela desorganização e por ter transformado um evento renomado no país inteiro, respeitado pelos compositores há mais de 20 anos em um "Festival local Gospel".
Com todo o respeito aos "compositores evangélicos" e até aqueles que burlaram o regulamento cantando músicas gravadas, conhecidas. Acho que ninguém questiona que os "evangélicos" devem e podem ocupar todos os espaços. Mas se apropriar de um festival renomado é outra conversa, é oportunismo. Crie-se então um espaço novo, um "novo FacGospel" Outra data, outro espaço...
Quanto as músicas não inéditas, incluída aí a vencedora "AME", falha gritante da comissão, posto que deve haver uma triagem antes da divulgação das músicas classificadas para o FAC, e nesse ponto, o rastreamento deve ser realizado, posto que a "internet" é hoje o maior espaço de divulgação e comercialização da música. Ponto Final.

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: Re:FAC 2014

Quanto ao FACgospel é uma ideia genial. É um seguimento em ascensão e não diz respeito somente aos evangélicos, pois sim trata, de música que referenda a fé. Isso é uma proposta oportuna. Mas querer julgar e condenar as composições e compositores que já forma vencedores é uma lastima. A organização tem que cuidar de um regulamento democrático, que não cerceie a participação de todos, dentro das regras. Porém, volto a perguntar: o que é INÉDITA? Quem nunca esteve na Rede Globo? Ou quem faz papel de bobo, sendo enganado por um júri de festival armado para os vencedores acertados antecipadamente?

Data: 10/08/2014

De: PAULO ALCÂNTARA

Assunto: Re:FAC 2014

Outra coisa a se comentar, é que fiz contato com o compositor da música da BANANA, que está no meu facebook e o mesmo me disse, declarou e informou sob a Penas da Lei, que essa música não possui qualquer registro ou gravação EM CD COMERCIAL. A música nunca foi gravada com o intuito comercial, porque a música foi projetada em princípio com propósitos educativos, falando e versando sobre as culturas e plantios de diversas regiões do Brasil. Se isso impede a participação da música no festival, aí já é outro problema. Teremos que fazer uma mesa redonda pra discutir o que é ineditismo. Não estou questionando o ERRO ou ACERTO do edital, mas devemos todos nos juntar para resolver isso de maneira sadia e racional. O FESTIVAL É UMA ENTIDADE MUITO IMPORTANTE PARA A MÚSICA DOS EMERGENTES, QUE NÃO PODE SER FERIDA POR MÁCULA DE PERDEDORES INCONFORMADOS. Abraços

Data: 29/07/2014

De: carla

Assunto: Festival Araguaia da Canção

Esse festival gospel foi mesmo um festival da familia araguaia, pois nunca vi tanta desorganização junta, coordenador do evento e seus familiares ganharam os premios e comemoraram juntos.

1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>

Novo comentário