25/08/2014 - "Briga de esposas é perda de tempo", diz mulher de Lúdio

A psicóloga Ana Regina Cabral, casada há 19 anos com o candidato a governador Lúdio Cabral (PT), afirmou, em entrevista ao MidiaNews, que a maioria dos postulantes a cargos majoritários perdem tempo discutindo “o que não é política”.

Para ela, discussões acaloradas como as de Janete Riva - mulher do candidato do PSD ao Governo, José Riva - e de Samira Martins - mulher do candidato do PDT, Pedro Taques - não deveriam fazer parte do processo eleitoral.

“Acredito que discutir se o pai da moça foi preso não é questão política. Se estão discutindo quem está com a razão ou não, não tenho opinião formada. Só acho que o interessante é abrir um canal de diálogo com a população”, afirmou Ana Regina.

 

Os candidatos do PDT e do PSD e suas famílias têm trocado acusações públicas. Samira, supostamente, teria divulgado um texto sobre a prisão de Riva, Janete e de seu genro, o ex-vereador João Emanuel. 

Em resposta, Janete lembrou que, em 2005, o pai da Samira, o agente de tributos estaduais Sadi Martins Ferreira, foi preso na Operação Quimera, acusado de corrupção.

Para Ana Regina Cabral, “picuinhas políticas” são o resultado da ausência dos eleitores na pauta das discussões dos candidatos.

“Se a população ainda não está criando esse espaço para poder dialogar, as pessoas perdem tempo nesse outro processo de troca de farpas. Então, eu não via a hora de começar a propaganda eleitoral, para podermos dialogar com o povo”, disse.

"As posturas vão sendo adotadas de acordo com as necessidades, o momento, mas sem perder o bom senso e os valores. Além disso, não adianta criar um personagem, porque, em menos de um mês, a máscara irá cair", afirmou.

Boatos de campanha

A esposa de Lúdio disse que está preparada para lidar com os possíveis boatos que possam surgir durante o processo eleitoral, envolvendo a candidatura do marido.

Recentemente, por exemplo, Ana Regina teve que se posicionar sobre os comentários de que estaria afastada da campanha de Lúdio pelo fato de estar separada do petista.

“Nós somos um casal como qualquer outro, temos todos os sabores e dissabores de uma relação, e não criamos personagens. Nós temos 19 anos de casados, meu casamento não começou ontem e nem vai terminar amanhã”, afirmou.

 

 “Eu e Lúdio nos completamos de um jeito que acredito que somos o conteúdo e a forma. Temos uma relação muito forte e positiva e estamos mais fortalecidos do que nunca. E que atua nos bastidores têm o direito de falar o que quiser. Imagine o que não vão falar daqui para frente...”, disse.

Para Ana Regina, a atuação de um possível “Comitê da Maldade” já era esperada por ela e pela coligação de Lúdio Cabral.

“Há alguns nomes que, de cara, quando se fala, já se relaciona ao tal Comitê da Maldade. Tenho uma estratégia de fazer uma campanha propositiva, sem perder tempo com esse tipo de situação. Se há um Comitê da Maldade, o próprio nome já diz: não agrega valor. E, se não agrega, não tenho motivo para me desgastar nesse processo”, disse.

“A mais bonita”

Ana Regina se viu, na campanha de Lúdio à Prefeitura de Cuiabá, em 2012, envolvida em uma polêmica, em um dos debates na TV. 



Uma troca de beijos entre o casal gerou críticas do então adversário, o hoje prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), que afirmou que a sua esposa, Virgínia Mendes, “era mais bonita”.

Dois anos depois, a psicóloga se diz mais preparada para lidar com esse tipo de situação.

“Ninguém escolhe estar em uma polêmica. Um comportamento inadequado de um determinado candidato gerou aquilo. E quando ele tem esse comportamento inadequado, você está envolvido indiretamente no processo”, disse. 

“Nunca vou deixar de me defender e defender a minha família. Se isso vai gerar polêmica, não é o objetivo, e, sim, que o que tiver que fazer para defender a minha família, vou fazer”, completou.




DOUGLAS TRIELLI
DA REDAÇÃO

 

Comentários

Data: 25/08/2014

De: a

Assunto: u

UMA VERGONHA PARA MATO GROSSO A MATERIA QUE SAIU NO JORNAL ESTADAO DE HOJE 25/08:

"O recordista de processos nas eleições para governador é José Geraldo Riva (PSD), de Mato Grosso. Ele é alvo de 117 procedimentos, o equivalente a quase 36% das ações que correm contra candidatos em todo o País, considerando-se os tribunais de Justiça, os de Contas e os Eleitorais.

Por causa de condenações já sofridas, o Tribunal Regional Eleitoral não considerou Riva apto a concorrer, mas ele recorreu e, até a decisão final, poderá fazer campanha. "Tenho certeza de que vamos derrubar (a decisão) no julgamento técnico do Tribunal Superior Eleitoral", disse ele ao Estado. "Nem faço questão de me eleger. O mais importante é mostrar que sou inocente."

Riva argumenta que não está enquadrado na Lei da Ficha Limpa porque em suas condenações não está configurado que houve, cumulativamente, dolo, enriquecimento ilícito e prejuízo ao erário. "Quem conhece minha história sabe que não tem nada a ver", disse.

O candidato foi processado, entre outras irregularidades, por um escândalo de desvio de recursos ocorrido quando ocupava a presidência da Assembleia Legislativa do Mato Grosso. Ele foi acusado de desviar R$ 2,9 milhões por meio de falsos empréstimos bancários. Parte desse valor era movimentado em empresas de João Arcanjo Ribeiro, conhecido como Comendador Arcanjo, acusado de comandar uma organização criminosa com ramificações no Executivo e no Legislativo do Estado.

Riva e outro parlamentar, na época, foram acusados de movimentar, entre 1998 e 2001, R$ 65 milhões das contas da Assembleia, que foram parar em empresas de Arcanjo.

Segundo sustentou o Ministério Público, os dois então deputados faziam falsos empréstimos no Banco ABN Amro Real em nome de funcionários da Assembleia. A ação diz que o dinheiro ficava com os dois, que usavam cheques da Casa para pagar as dívidas com o banco.

Além disso, segundo os promotores, as empresas de Arcanjo eram usadas para transformar em dinheiro vivo os cheques emitidos irregularmente pela Assembleia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo."

Data: 25/08/2014

De: iu

Assunto: ui

quem é essa carniça na volta do dia? Tenho uma mala de roupa pra ela lavar e uma casa pra encerar.

Só pq é mulé do ludio que conversa fiado.

Novo comentário