25/08/2016 - Justiça decreta prisão de pai suspeito de torturar filho até a morte

25/08/2016 - Justiça decreta prisão de pai suspeito de torturar filho até a morte

A Justiça decretou a prisão de E.L.A., 34 anos, suspeito de torturar o filho de cinco anos, que morreu no último domingo (21), no Pronto-Socorro de Cuiabá. O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela Delegacia de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica).

De acordo com as informações da Polícia Civil, a prisão foi decretada pela 14º Vara Criminal da Capital, atendendo ao pedido do delegado Eduardo Botelho, titular da Deddica.

Na terça-feira (23), Botelho conversou com o MidiaNews e contou que exames preliminares de necropsia apontam traumas estomacal e intestinal, indicando que a criança tenha sido vítima de maus tratos há mais de meses, o que pode ter ocasionado a morte.

“Quando algo vem acontecendo de forma sequencial e que causa grande sofrimento, seja físico ou psicológico, configura a tortura. Isso aponta que a vítima passou por um intenso sofrimento físico e psicológico, que não vem acontecendo de hoje”, explicou.

No domingo, após a morte da criança ser confirmada pela equipe médica do Pronto-Socorro de Cuiabá, o pai da criança fugiu. E.L.A. foi identificado e detido na noite de segunda-feira (22), na rodoviária de Sorriso (240 km ao Norte de Cuiabá).

O suspeito foi transferido para a Capital na manhã de terça e passou por um interrogatório ao longo do dia. Conforme o delegado, ele será reinterrogado nesta quarta-feira (24). “Ele nega a prática do crime", disse o delegado.

E.L.A. ficará preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC).

Laudo médico

O menor foi internado no sábado (20), após se queixar de dores na cabeça. A família alegou que o menino havia caído da cama.

Ele apresentou um quadro de convulsões contínuas e, no domingo, teve uma hemorragia e três paradas cardiorrespiratórias.

O laudo da necropsia ainda não está pronto, mas resultados preliminares indicam que o menino morreu em decorrência de infecções (septicemia) devido às lesões internas.

 

 

 

Midia News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário