25/10/2013 - Por 4 votos a 3, João Arcanjo é condenado a 19 anos de prisão

Após 11 horas de sessão do Tribunal do Juri, o bicheiro João Arcanjo Ribeiro foi condenado nesta quinta-feira, 24, a 19 anos de prisão pela morte do empresário Domingos Sávio Brandão de Lima, assassinado no dia 30 de setembro de 2002, no bairro Consil, em Cuiabá. Sávio era dono do jornal “Folha do Estado”. A decisão foi apertada: 4 votos contra 3. O regime de pena é fechado.

 

Por maioria, o Conselho de Sentença também concordou com as qualificadoras do crime, cometido por motivo torpe e sem dar chance de defesa à vítima. O motivo do crime é vingança em decorrência das matérias publicadas no jornal A Folha do Estado, que denunciavam as atividades criminosas de Arcanjo.

 

Brandão foi executado quando visitava obras da nova sede de seu jornal localizada no bairro Consil. Foram disparados três tiros de pistola 9mm, que atingiram a cabeça do empresário. Segundo testemunhas, dois homens ocupando um moto o aguardavam numa esquina da rua e se aproximaram já atirando.

 

"Não tenho as mãos sujas de sangue", afirmou o ex-bicheiro durante depoimento. Ele lamentou a morte do jovem empresário, mas reafirmou que não teve participação. Arcanjo acrescentou que não é santo, mas não tem crimes de homicídio na vida dele. Arcanjo negou ter feito qualquer ligação à Sávio Brandão ameaçando-o por matérias publicadas pelo jornal. “Nunca liguei para o Sávio, nem tinha o telefone dele.


Ao ser questionado sobre o motivo de uma suposta perseguição à sua pessoa, João Arcanjo alegou “inveja”. “Sou uma pessoa de origem humilde, ex-policial, garimpeiro e bicheiro que deu certo. As pessoas não aceitam”, observou.

 

O julgamento do Arcanjo é protelado há mais de 10 anos, sempre por força de recursos impetrados pela defesa, que nega de forma veemente a participação do ex-comendador no assassinato.

 

24 Horas News

- See more at: http://www.24horasnews.com.br/noticias/ver/por-4-votos-a-3-joao-arcanjo-e-condenado-a-19-anos-de-prisao.html#sthash.TecRZHai.dpuf

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário