26/01/2016 - Após encontrar inconformidades, secretário nega receber obra do Morro do Despraiado

26/01/2016 - Após encontrar inconformidades, secretário nega receber obra do Morro do Despraiado

O secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, se negou a receber parcialmente a obra do Morro do Despraiado, localizado ao lado da avenida Miguel Sutil, próximo ao viaduto que leva o mesmo nome. Isso porque o gestor da pasta encontrou várias inconformidades na execução do projeto, que deve ser entregue até o fim de fevereiro. A obra, que custará R$ 1,9 milhão aos cofres públicos, tem 98% de execução.

“A empresa responsável pelo 
Morro do Despraiado queria me entregar a obra parcialmente. Nós fomos até lá para verificar como estava a obra. Para quem olha por fora, rapidamente, parece que está tudo pronto. Porém, analisando minuciosamente, encontramos diversas inconformidades e não vamos aceitar obras assim. Esse não é o modo de agir da nossa administração”, revelou o secretário em entrevista exclusiva ao Olhar Direto.
 
O contrato com a LP engenharia 
Eireli foi alvo do Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT). Atualmente, a obra conta com 98% de execução e a previsão de entrega é para fevereiro de 2016. Ao todo, serão gastos R$ 1.956.446,4 para a realização de um retaludamento no local.
 
A obra de retaludamento do 
Morro do Despraiado foi iniciada em setembro de 2014 e tinha prazo de execução de 60 dias. O cronograma não foi cumprido e a obra acabou sendo paralisada no final de 2014. Os serviços que foram realizados no local contemplam técnica de retaludamento, que compreende na realização de cortes junto a estrutura para evitar deslizamentos. Além disso, o espaço também passou por ações de concretagem, hidrossemeadura, paisagismo e urbanismo.
 
Além disto, 10 imóveis tiveram de ser demolidos. As residências compreendiam áreas que já foram desapropriadas. As famílias retiradas receberam indenizações que compreenderam um total de R$ 2,8 milhões.
 
Desmoronamento
 
Na madrugada do dia 12 de novembro de 2013, o Morro do 
Despraiado desabou, após uma forte chuva na capital mato-grossense. Por pouco, várias residências que ficam na encosta não vieram abaixo. Na época, nove famílias tiveram de ser retiradas por conta do risco de novos deslizamentos.

 

 

 

Da Redação - Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário