26/02/2015 - OPERAÇÃO IMPERADOR - Desembargador nega liminar e Riva permanece preso em Cuiabá

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Rondon Bassil Doer Filho, negou na noite desta quarta-feira um pedido de habeas corpus para revogar a prisão preventiva ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual José Geraldo Riva (PSD). Ele foi preso no último sábado em sua residência no bairro Santa Rosa, em Cuiabá, durante a "Operação Imperador".

Os advogados do ex-parlamentar argumentar que a prisão decretada pela juíza Selma Rosane de Arruda era "desprovida de fundamentação não existindo fundamentação concreta". Riva foi denunciado pelo Gaeco (Grupo de Apoio e Combate ao Crime Organizado) de comandar juntamente com outras 14 pessoas uma organização criminosa que teria desviado R$ 62 milhões dos cofres públicos entre 2005 e 2009 através da compra fictícia de materiais de expediente em gráficas.

Em sua decisão, o desembargador também considera Riva como o "coordenador-mentor das atividades delituosas". "Diante de tais circunstâncias, não se pode deixar de reconhecer a gravidade da conduta imputada, não só, em face da condição de quem figura como réu na ação penal como, também, pela qualidade de quem se encontra na condição de vítima dos delitos sob investigação, sem falar nas consequências do crime e sua repercussão no meio social. Na decisão atacada neste HC, a autoridade apontada como coatora, quanto aos requisitos da prisão preventiva (materialidade e indícios de autoria) a eles se refere remetendo-se aos que estão descritos na denúncia. Satisfeitos, portanto, tais requisitos", diz a decisão.

Rondon Bassil alerta que, em caso de liberdade, Riva pode prejudicar as investigações. "Quantos a prisão preventiva, da leitura atenta que fiz da decisão hostilizada, vejo que a magistrada que ressaltou as razões pelas quais era imprescindível a medida cautelar, destacando, principalmente, que diante da influência exercida pelo paciente (graças à vasta teia de relacionamentos e às dependências interpessoais) o Gaeco tem encontrado muitas dificuldades para localizar documentos importantes para a investigação afirmando, inclusive, que após a publicidade das fraudes (mídia local e nacional) José Geraldo Riva, com mais razão, não medirá esforços para ocultar ou se desfazer de documentos, além de pressionar, se preciso for, testemunhas arroladas", detalha, ao acrescentar que a Mesa Diretora comanda pelo ex-deputado só entregou os documentos ontem após a decretação da prisão preventiva.

 

 

 

Comentários

Data: 26/02/2015

De: José Rezende

Assunto: pergunto eu

É bom lembrar que esse jornal aqui, através da Vanessa sempre apoiou esse pilantra !
Agora que ele não é mais deputado, tá puxando o saco da filha dele.
A Assembleia Legislativa tem mais de 20 deputados, mas aqui nesse site só sai noticia de uma. Por que será ?

Data: 26/02/2015

De: Tomtom

Assunto: Lembrando

É verdade, e a filha dele disse que esta do lado dele e acredita nele. Quem não gosta de viajar para Europa, comer caviar e tomar champanhe a custa do povo? isso é um alerta para a sociedade na hora de apoiar um politico tem que dar uma olha com quem circula ao seu redor, pois ganhar caminhonete do amigo é bom né... já diria o velho ditado " diga com quem tu andas que direi quem tu és".

Data: 26/02/2015

De: jo

Assunto: vamos lembrar ?

Quando ele esteve em São Félix, teve um monte de gente que foi recebe-lo no aeroporto. Que tal lembrar alguns nomes aqui ?
Filemon, Quezia, Roberto Biondo, Gesner, Cristiano Milhomem, Hermógenes e mais um tanto..
Se você se lembra de mais nomes, coloque aqui pra todo mundo saber quem em nossa cidade apoia corrupto.

Novo comentário