26/02/2015 - Porque Blairo Maggi não foi sequer citado na reportagem do Fantástico?

A principal conversa nos bastidores da política e rodas de bate papo da cidade é a não citação do nome do senador e ex-governador Blairo Maggi (PR) na matéria veiculada pelo Fantástico no último domingo, expondo uma pequena parte dos escândalos ocorridos em Mato Grosso nos últimos anos, e a locupletação com dinheiro público, de pessoas que foram eleitas para “administrar” o Estado em favor de todos e não apenas de um pequeno grupo de espertalhões que ficaram ricos da noite para o dia.     

 

José Riva, Silval Barbosa, Eder Moraes, Júnior Mendonça, Maksuês Leite; um ex-presidente da Assembleia, um ex-governador, um ex-supermegahiperultra secretário e PHD em tramoias de todos os naipes e um operador de factoring que, por certo praticava juros extorsivos para fazer a lavagem do dinheiro público, não são, com toda certeza, os únicos culpados nesses assaltos praticados contra o Estado. Tem muito mais gente graúda envolvida nisso. 

 

Estranhamente, o foco principal da matéria, que seria o “esquema” de desvio de R$ 50 milhões por meio de serviços gráficos foi desviado para as Obras da Copa e o nome de Blairo Maggi não aparece na reportagem que, aliás, teve uma assinatura clara quando foi mostrado o esqueleto da obra do que seria o Hospital Geral, assuntos que não têm nada a ver com a ideia de se mostrar os desvios de recursos da Assembleia Legislativa no esquema de gráficas. A anarquia pré Copa começou no Governo Blairo Maggi, que criou a Secopa, então com nove diretores que se engalfinharam na disputa pelo poder. 

 

Para evitar a autofagia desenfreada e a constante exposição dos feitos e mal feitos, viram na figura do até então “competentíssimo” Eder Moraes, a salvação da lavoura e ele assumiu, com todas as pompas o comando da Agência ligada diretamente ao gabinete do governador, que era ninguém menos que o atual senador Blairo Maggi.     

 

Quando as bombas começaram a explodir, Maggi deixou o governo nas mãos de Silval Barbosa para consolidar a candidatura do ex-vice a governador e trabalhar seu próprio nome para o Senado. Isso, no entanto, não exime o ex-governador e atual senador da responsabilidade sobre parte das ocorrências consolidadas em seu Governo. 

 

 

Da Redação

Comentários

Data: 26/02/2015

De: José Rezende

Assunto: pergunto eu

É bom lembrar que esse jornal aqui, através da Vanessa sempre apoiou o pilantra do Riva!
Agora que ele não é mais deputado, tá puxando o saco da filha dele.
A Assembleia Legislativa tem mais de 20 deputados, mas aqui nesse site só sai noticia de uma. Por que será ?

Novo comentário