26/04/2015 - Fávaro parabeniza integração de produtores e Judiciário

Atendendo um pedido do governador Pedro Taques, o vice-governador Carlos Fávaro participou na última sexta-feira (24.04) de uma visita técnica a duas propriedades rurais localizadas em Campo Verde. O objetivo foi proporcionar aos juízes e desembargadores uma demostração da vida no campo e, assim, aproximar o diálogo com o setor.

Fávaro parabenizou a iniciativa do setor produtivo e também do Tribunal de Justiça em querer sair de dentro dos gabinetes para conhecer a realidade de Mato Grosso. Ele destacou que esse processo é fundamental. "Dentro do Governo do Estado vamos estar sempre apoiando iniciativas como essa", disse.

A desembargadora Marilsen Addario salientou a importância da visita para o magistrado. "Quando nós começamos a magistratura, nós sabíamos do agronegócio apenas dentro dos livros e das leis. e hoje a magistratura tem que estar aberta e precisa de aprendizado, de conhecimento, ela precisa saber do dia-a-dia de todos os cidadãos, inclusive daqueles que lidam com o agronegócio. Então sair dos gabinetes e vir a campo conhecer, sentir, ouvir e poder falar a respeito é uma experiência fantástica".

O presidente do Federação da Agricultura e Pecuária (Famato), Rui Prado, explicou que o objetivo da visita é justamente a integração do setor produtivo com o sistema judiciário mato-grossense. "Essa integração facilita o entendimento. Logicamente que os juízes são independentes e assim têm que ser mesmo no momento em que forem fazer qualquer sentença , mas é importante também que eles tenham o conhecimento de como se dá o processo produtivo na propriedade e como são os conceitos desses processos", ressaltou.

Na visita a propriedades consideradas modelos em Mato Grosso os magistrados de 77 comarcas e palestrantes internacionais puderam conhecer procedimentos, desde o recebimento do grão no armazém até o carregamento do caminhão.

Fávaro afirmou que Mato Grosso "é um estado protagonista na produção de alimentos, apesar de ter uma infraestrutura logística deficitária. A falta de infraestrutura é sem dúvida o maior inibidor de desenvolvimento. Temos uma malha rodoviária 82% deficitária, segundo a CNT [Confederação Nacional dos Transportes]. Isso precisa ser mudado. Certamente nós vamos integrar outros municípios e também levar os municípios de economia exaurida a possibilidade da integração com a agricultura e com a pecuária que é a nossa grande vocação e esse será um papel que o governo do estado vai tratar com muita pontualidade", destacou.
 
O agronegócio mato-grossense representa 50,46% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. O Estado ocupa o primeiro lugar no ranking brasileiro de produção de soja, responsável por 31% da produção no Brasil, na de milho, responsável por 37%, e do algodão, sendo responsável por 58% da produção nacional. Ocupa também o primeiro lugar na produção de girassol, peixes e possui o maior rebanho bovino do país, com 28,5 milhões de cabeças. Mesmo com toda essa produção, preserva 62% do território estadual. Soma 50,46% do Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso, segundo dados de 2014 do Instituto de Economia Agropecuária (Imea).
 
 
 
Escrito por DURCY ARÉVALO Assessoria/ Vice-Governadoria-MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário