26/05/2016 - Mãe de Rodrigo Augusto de Pádua, rapaz morto após atacar Ana Hickmann, diz que filho lutava '24 horas' contra 'inimigo terrível'

26/05/2016 - Mãe de Rodrigo Augusto de Pádua, rapaz morto após atacar Ana Hickmann, diz que filho lutava '24 horas' contra 'inimigo terrível'

Após o enterro de Rodrigo Augusto de Pádua no Cemitério Municipal de Juiz de Fora (MG), a mãe Wanda de Pádua, de 75 anos, classificou o ocorrido como uma fatalidade. "O destino foi muito cruel. Tirou o meu caçula que eu amava tanto. Agora, ele vai ficar no meu coração", disse, de acordo com o G1.

“O meu filho era o melhor filho do mundo. Só eu conhecia meu filho. Não era ele quem fez aquilo. Era outra pessoa", afirmou.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a mãe de Rodrigo negou que seu filho tivesse a intenção de atacar Ana Hickmann. Disse que seu filho lutava "24 horas por dia" contra um "inimigo terrível", sem especificar se estava falando de um transtorno psicológico.

Rodrigo Augusto de Pádua foi morto com três tiros após invadir o quarto de Ana Hickmann em um hotel em Belo Horizonte neste sábado (21).

O autor dos disparos, Gustavo Corrêa, disse ter dado dois tiros na nuca e um no braço de Rodrigo após entrar em luta corporal com ele. A Polícia Civil investiga o caso como legítima defesa.

Durante o velório, Wanda falou à imprensa. Afirmou que seu filho, que se hospedou no mesmo hotel que Ana Hickman, havia ido a Belo Horizonte para encontrar o irmão, que mora na cidade.

"Ele era um menino muito bom, muito educado, querido por todos. Ficava mais em casa. Só saía comigo. Era da academia para casa e da casa para academia. Não tinha inimigo, não bebia, não fumava, não tinha vício de nada, não mexia com droga. Era muito carinhoso com os irmãos, muito carinhoso comigo, vivia me abraçando e me beijando dentro de casa”, disse.

Entenda

Ana Hickmann foi vítima de um ataque a mão armada no quarto do hotel onde estava hospedada, em Belo Horizonte, para o lançamento de uma coleção de roupas.

Segundo relatos de Ana e seu cunhado, Gustavo Corrêa, Rodrigo Augusto de Pádua, 30, que se dizia fã de Ana Hickmann, entrou no quarto da apresentadora armado com um revólver calibre 38.

Ele manteve Ana Hickmann, Gustavo Corrêa e sua cunhada e assessora Giovana Oliveira sob a mira de sua arma, e mandou que os três virassem de costas.

Após dizer frases desconexas, o atirador disparou duas vezes contra Giovana. Gustavo, então, teria partido para cima de Rodrigo e ordenado que Ana e Giovana saíssem correndo do quarto.

Após alguns minutos de luta corporal, Gustavo desarmou o agressor e, segundo depoimento, deu dois tiros em sua cabeça. Rodrigo morreu no local.

Giovana está internada após um dos disparos ter atingido seu abdome, perfurado o intestino e uma artéria e se alojado no fêmur. Ela já foi submetida a uma cirurgia e não corre risco de morte.

 

 

HuffPost Brasil

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário