26/06/2014 - Em dificuldades, prefeitos apelam por socorro de deputados

Uma comitiva com mais de 30 prefeitos, liderada pelos deputados Estaduais Baiano Filho, José Riva e Dilmar Dal´ Bosco se reunirão a partir das 15h com o governador Silval Barbosa, no Palácio Paiaguás. A audiência é uma tentativa contundente dos líderes na busca de que o Governo do Estado cumpra com programas e projetos assumidos.

Entre os desabafos, o deputado Baiano Filho, que constantemente percorre os municípios, frisou os problemas enfrentados pelo Programa MT Integrado. O programa que deveria ser a tábua de salvação do interior, uma vez que a interligação por meio do asfalto solucionaria grande parte dos problemas sociais e logísticos, tornou-se um tormento para prefeitos e lideranças. Segundo prefeitos, a descomprometimento do Estado em depositar a contrapartida referente ao empréstimo de R$ 1,5 bilhão obrigou o BNDES a suspender os repasses ao programa, gerando transtorno com fornecedores e descrédito entre a população.     

“Precisamos discutir com o governador os problemas existentes dentro do MT Integrado, temos lotes licitados que aguardam pela aprovação do banco porque estão com problemas em projetos, ou faltam licenciamentos, o banco também exige que o governo dê sua contrapartida, as empreiteiras estão pressionando os prefeitos e ameaçando paralisar as obras se o governo não pagar, e nós deputados viramos cobradores do governo do estado, não dá, ao invés de legislarmos temos que resolver problemas de governo”, desabafou Baiano.

Baiano aproveitou para criticar a falta de compromisso do Estado com cerca de 40 municípios que aguardam pelo início das obras de construção dos Centros de Referencia de Assistência Social (CRAS e CRES). “Hoje temos 40 municípios que estão sendo enrolados pelo estado, criamos lei, demos condições de arrecadação para que a SETAS avançasse e hoje ouvimos o secretário dizer que estão sem recursos”, frisou.

A pauta com Silval Barbosa reúne sete assuntos prioritários: a regulamentação da lei que determina a redistribuição do FETHAB; repasses devidos pela SES; aquisição de ambulâncias; execução dos convênios com a SECID; problemas relacionados ao MT Integrado; construção das unidades do CRAS e do CRES, e devolução das patrulhas rodoviárias aos municípios.

 

Naiara Martins

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário