26/06/2016 - Esquecido, viaduto Beira Rio está atrasado há 2 anos e 6 meses e só tem 13% de conclusão

26/06/2016 - Esquecido, viaduto Beira Rio está atrasado há 2 anos e 6 meses e só tem 13% de conclusão

Esquecido e só com 13% de conclusão. Esta é a situação do viaduto Beira Rio, que será construído no entroncamento das avenidas Fernando Corrêa e Beira Rio, em Cuiabá. Poucos se lembram da obra, que faz parte da implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) e de suma importância para a sequência do modal, que passará por ali. Os trabalhos deveriam ter sido finalizados em dezembro de 2013.
 
O problema é que a continuação da obra continua uma incógnita, assim como a implantação do novo modal, que segue judicializado. O estudo feito pela empresa KPMG, a pedido do governador Pedro Taques (PSDB), apontou que seriam necessários mais R$ 600 milhões para finalizar o projeto. Já o Consórcio VLT exige mais R$ 1,2 bilhão, além dos R$ 1 bilhão já pagos pela gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).
 
Até a paralisação do projeto, no fim de 2014, 80 estacas haviam sido executadas, representando 60,6% do total previsto para essa obra. A infraestrutura, que inclui estacas, tubulões e blocos, atinge 32,8% de conclusão e a obra total 13%. Além disto, a evolução dos trabalhos está condicionada à liberação de área para ampliar a frente de serviço, diretamente ligada ao progresso da construção das duas pontes sobre o rio Coxipó. A liberação da área, por parte do Governo do Estado, de imóveis (no sentido Coxipó-Centro) e da ponte metálica (no sentido Centro-Coxipó).
 
A Secretaria de Cidades (Secid) informou que o projeto faz parte do VLT e por isso também está paralisado, até que haja uma definição entre as partes. O Executivo e o Consórcio VLT reuniram-se algumas vezes para tentar a retomada da obra, porém, ainda sem sucesso.
 
Viaduto Beira Rio
 
A obra, que faz parte da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e teve início em junho de 2013, pouco avançou e as mudanças no local ainda não são significativas. O elevado será construído na área hoje ocupada pelas duas pontes, passando sobre a rotatória hoje existente, num total de 340 metros de comprimento. O prazo inicial para o fim dos trabalhos era dezembro de 2013.
 
Este será um viaduto rodoferroviário e servirá para passagem do VLT e demais veículos. Sob o viaduto também será construída uma nova rotatória, que dará acesso à avenida Beira Rio.

Obra
 
O VLT deveria ter sido entregue em junho de 2014, antes mesmo do início dos jogos da Copa do Mundo em Cuiabá. Entretanto, os sucessivos atrasos levaram o governo a fazer um aditivo prevendo o término para 31 de dezembro do mesmo ano. Porém, as obras foram paralisadas antes mesmo deste prazo.
 
O consórcio VLT Cuiabá venceu a licitação realizada em junho de 2012, na modalidade do Regime Diferenciado de Contratação (RDC), que não permite aditivos, por R$ 1,447 bilhão. Deste total, R$ 1,066 bilhão já foram pagos.
 
Em um segundo cenário, desta vez com a integração entre ônibus e VLT, a estimativa de passageiros por ano em 2015 seria de 29,5 milhões, passando para 30.217 dentro de nove anos, seguindo 30.229 em 2035 e chegando a 30.358 no ano de 2045, um crescimento de 2,73% em 30 anos.
 
Projeto
 
O modal terá dois eixos, Aeroporto-CPA e Centro-Coxipó, e será implantado no canteiro central das avenidas João Ponce de Arruda e FEB, em Várzea Grande; XV de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Historiador Rubens de Mendonça, Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá, totalizando 22 km de extensão.


Da Redação - Wesley Santiago

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário