26/07/2016 - Pedro Taques defende presídio de segurança máxima em MT e entrega equipamentos para Sejudh

26/07/2016 - Pedro Taques defende presídio de segurança máxima em MT e entrega equipamentos para Sejudh

A construção de um Presídio de Segurança Máxima e de uma grande unidade para regime semi-aberto estão entre as prioridades da política penitenciária de Mato Grosso. O anúncio partiu do governador José Pedro Taques (PSDB), ao lado do secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Márcio de Oliveira Dorileo, nesta segunda-feira (25), no Salão Cloves Vettorato do Palácio Paiaguás, durante cerimônia de entrega de equipamentos tecnológicos para o sistema prisional.
  
“Necessitamos com urgência de dois estabelecimentos penitenciários: um semi-aberto e uma penitenciaria de segurança máxima, em nosso Estado. É um problema grave a ser resolvido, porque a maior parte dos recursos vêm vem da União, via Departamento Penitenciário Nacional [Depen], ligado ao Ministério da Justiça”, argumentou o chefe do Poder Executivo.

“Conversei com os juízes das varas de Execuções Penais e promotores de Justiça, além do pessoal do Ministério da Justiça. E todos estão de acordo com uma nova unidade para o semi-aberto e um presídio de segurança máxima”, justificou Pedro Taques.

O governador lembrou que Mato Grosso possui mais de 11 mil reeducandos e que até fins de 2017, o governo abre cerca de duas mil novas vagas, no sistema prisional: 1.080 – podendo chegar a 1,5 mil, em Várzea Grande; 325 em Peixoto de Azevedo (Nortão); 325 em Sapezal (Médio Norte); e 325 em Porto Alegre do Norte (Vale do Araguaia).

Mato Grosso possui pouco mais de seis mil vagas. Atualmente, possui cerca de 500 presos federais e, por isso, há necessidade de uma penitenciária federal.
 
Pedro Taques recordou que, em dezembro de 2014, Mato Grosso possuía entre 250 a 300 reeducandos monitorados por tornozeleira.  Hoje o universo varia de 2.500 até 3.000 utilizando acessório judicial.
 
“É uma forma de desencarceramento muito importante. Eu cobro do doutor Rogers [Jarbas, da Secretaria de Estado de Segurança pública] que realize as operações e prisões e, no final das contas,sobra para o sistema penitenciário”, ponderou ele. Taques elogiou a atuação conjunta de Sejudh e Sesp, no combate ao que ficou conhecido como ‘salve a geral’, com ordens de bandidos partindo de dentro dos presídios. “Tivemos acontecimentos graves nos últimos dois meses. E Sejudh atuou com a SESP firmemente, com bom funcionamento dos serviços de inteligência”, disse ele.
 
Entrega de equipamentos 
 
Márcio Dorileo  afimou que o objetivo é acabar com a chamada “revista vexatória”, que fere a dignidade no tratamento aos visitantes (obrigados a ficarem pelados antes de receber autorização para ingresso na unidade prisional. “As raquetes otimizam e facilitam a funcionalidade na execução da revista e toda a rotina penitenciaria das unidades”, ponderou o titular da Sejudh.
 
No total, foram entregues 27 computadores, 161 detectores móveis de metal e ainda 65 banquetas que serão utilizadas para reforçar as revistas nas unidades. Foram investidos R$ 826 mil na compra de equipamentos de revista eletrônica, incluindo a entrega posterior de cinco raios-X e 32 portais.
 
Já tínhamos entregado mais de R$ 4 milhões em outros equipamentos, como armas letais e não letais. Estamos comprometidos na política de valorização dos servidores, na Sejudh. Entregamos 15 viaturas  e, nos próximos 40 dias, vamos entregar mais 15 novas viaturas, para assegurar dignidade e segurança, com ferramenta e condições de trabalho com nossos servidores”, sintetizou Márcio Dorileo.

Da Reportagem Local - Ronaldo Pacheco

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário