26/08/2015 - Especialista alerta para o cuidados em período de queimadas

Segundo a médica pneumologista, Keila Maia, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), os níveis de poluição, o tempo seco e as queimadas podem agravar ainda mais os casos de doenças respiratórias, como asma, rinite e enfisema, além de causar doenças virais, como a conjuntivite.

A pneumologista explica que a umidade do ar ideal para a saúde humana deve estar em torno de 55 a 85%. 
As crianças e os idosos, em geral, são os que mais sofrem com o clima seco. Ela alerta que não se deve colocá-los em exposição onde existem focos de queimadas, o que está bem comum na área urbana.

"A gente passa de carro e vê queimadas em vários locais nessa época do ano. É importante reforçar o cuidado com as crianças. A exposição causa várias doenças. E nas crianças pequenas que não sabem expelir secreções corre o risco de um quadro até de pneumonia", declarou a especialista.

A pneumologista explica que a exposição a mudanças bruscas de temperatura também podem provocar problemas respiratórios. A exposição à poeira e a poluição são complicadores. "Por exemplo, você está num ambiente de ar-condicionado e sai nesse calor. Isso prejudica a saúde".

Além dos cuidados básicos de higiene, a população também pode tomar algumas medidas para tentar deixar o ambiente mais úmido. A bacia de água num canto da sala e do quarto, por exemplo, ajuda a minimizar os efeitos do ar seco. Vale ainda uma boa limpeza dos aparelhos de ar-condicionado. "Essa tática funciona, mas não use balde, porque é muito profundo e a água não evapora e cuide para não deixar a bacia próxima da cama, evitando acidentes domésticos principalmente com os idosos", disse.

Ela também aconselha o uso de soro fisiológico para ajudar a umedecer as narinas das crianças e dos adultos. "Não devemos usar qualquer remédio porque alguns até viciam. Mas é bom ajudar na limpeza das narinas, porque elas que filtram toda a impureza que está no ar. Esta limpeza também pode ser feita com água".

Médica destaca que neste período as pessoas precisam ingerir muita água, porque o clima seco faz com que o ser humano perca líquido e o nosso organismo é composto por 70% de água. "Temos que ter uma garrafa sempre na mão e hidratar ainda mais. Não devemos nos descuidar das crianças, porque são as que mais sofrem nesta estação".

Níveis de poluição

Conforme o monitoramento do Laboratório de Ensaios da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o limite permitido de material particulado oriundo da fumaça de queimadas, considerado tolerável para seres humanos, é até 25 microgramas (µg) por metro cúbico de ar (m³). Na última semana, o valor está oscilando entre 20 e 23 µg/m³.

 

Soraya Medeiros, especial para o GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário