26//08/2016 - Pacientes da saúde de Cuiabá esperam até 8 horas na fila por atendimento

26//08/2016 - Pacientes da saúde de Cuiabá esperam até 8 horas na fila por atendimento

Uma espera de até oito horas é o tempo a que estavam sendo submetidos os pacientes que procuraram atendimento ontem (24) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro, em Cuiabá. A informação dada aos doentes era de que havia apenas um médico para atender a demanda. Muitos, mesmo com dor, resolveram ir para casa devido à demora. Contudo, a escala de plantão fixada na própria unidade apontava que deveria haver três clínicos-gerais.

 

Um vídeo gravado pelos pacientes mostra uma mulher que estava na unidade desde a manhã e, mesmo após um desmaio, só foi atendida três horas depois. Lucas França da Silva, um dos pacientes que esperava desde as 10 horas da manhã, já próximo das 17 horas estava desistindo de ser atendido.

 

A informação dada, segundo ele, era de que um dos médicos havia passado mal e somente um estava atendendo. “Muita gente inclusive já foi embora; quem vem para cá fica mais doente ainda, é um desrespeito com a população”, disse.

 

Dona Cleonice Costa Soares foi outra paciente que não suportou a espera. Desde o início da tarde na unidade, ela foi embora sem esperanças, já que muitos pacientes que chegaram antes dela nem haviam sido atendidos. “Eles só atendem quem estiver morrendo. Eu acho que seria mais bonito eles dizerem logo que não vão atender, do que deixar a gente aqui plantada”, lamentou.

 

Vani Souza, que acompanhava a irmã na unidade, disse que já no dia anterior tinha passado o dia todo na UPA. Ao retornar no dia de ontem para saber o resultado de um exame, foi informada de que a irmã, que estava com febre, teria que passar novamente pela triagem. “Agora chegamos aqui e não tem médico; aquela escala de plantão que está na parede pode jogar fora, os médicos são fantasmas. Nós estamos pagando por um péssimo atendimento”, disse.

 

A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que tinha dois médicos atendendo ontem e que eles estavam dentro do protocolo. Quanto à superlotação, a secretaria diz que ela ocorre em todas as unidades.

 

MANIFESTO – Médicos e enfermeiros e técnicos se manifestaram ontem diante da falta de estrutura na unidade do Programa Saúde da Família do Bairro Doutor Fábio I e II. Eles alegam péssimas condições de trabalho, falta de estrutura e segurança, que afetam diretamente o atendimento ao público. Banheiros que não funcionam, materiais deteriorados são parte do retrato da realidade da unidade.

 

O PSF, que está atendendo o dobro da capacidade, sofre com a sobrecarga dos profissionais. Uma servidora chegou a ser agredida por uma paciente que queria ser atendida. A Secretaria Municipal de Saúde disse que o PSF está incluído numa lista de 20 unidades que passarão por reforma com ampliação e implantação de consultório odontológico. A previsão é de que as obras tenham início ainda este ano.

 

 

 

Fonte: Aline Almeida com Diario de Cuiaba