26/11/2012 - FORÇA NACIONAL FAZ ARRUAÇA EM ALTO BOA VISTA-MT

Um grupo de policiais da Força Nacional, que se encontram em Alto Boa Vista-MT, para cumprir o mandato de desintrusão da área suiá-missú, onde acontece um rumoroso conflito entre produtores e um grupo de índios xavante, entraram nesta noite de sábado, 25/11, em confronto direto com a população deste município.
 

A briga aconteceu em uma festa que estava sendo realizada no ginásio de esportes da cidade, quando os policiais da Força Nacional, se envolveram com um grupo de jovens em luta corporal e disparos de armas. Segundo informações do responsável pela realização da festa, ninguém foi atingido pelos disparos, mas o "susto foi grande," afirmou ele. A população local, que ja vem sendo aterrorizada pela exibição diária das tropas federais na cidade e no campo, tem manifestado grande contrariedade diante da truculência dos soldados da Força, que atuam na missão de entregar as intimações para que os moradores e produtores da suiá-missu, deixem as suas propriedades. 
 

O secretário de assuntos sociais da presidência da República, Paulo Maldos, que fez pronunciamentos via telefone em uma emissora da cidade, disse que a missão da Força Nacional é "garantir a execução do mandato," irritou mais ainda a população deste município, que não esta acostumada em ver e muito menos conviver com presença ostensiva do aparato militar instalado na cidade.
 

Enquanto as tropas do Exército e da Policia Federal se mantem mais reservadas, os policiais da Força Nacional, considerados uma elite militar preparada e bem treinada, parece mais avontade e também, mais relaxada se dando ao luxo de frequentar festas noturnas e de manter relacionamentos mais estreitos com as mulheres da cidade, o que não deixa de despertar ciúmes nos homens. Daí a motivação da briga pode ter nuances passionais encrementado pela aversão e antipatia do comportamento abusado de alguns policiais da Força Nacional.

 

Enfim, a arruaça cometida na festa por estes policiais, considerados como sendo  os "legionários da guarda presidencial," não é bem visto, porém, mostra o esgotamento e o cansaço destes soldados, em cumprir uma missão tão injusta, que nem eles  concordam de realizar que é o despejo forçado de milhares de brasileiros de suas casas e de suas roças produtivas. Brasileiros estes, bem diferentes daqueles que controlam o crime organizado, o tráfico de armas e drogas nas rocinhas urbanas do país.

 

Kalixto Guimarães/Correspondente do Araguaia