27/01/2012 - Asfalto da duplicação da BR-163/364 é questionado

A Comissão de Obras da Câmara de Vereadores se reúne na segunda-feira (30), às 8 horas, com o prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio, para exigir que a administração municipal cobre mais qualidade do asfalto executado pela empreiteira responsável pela obra da duplicação da BR-163/364 no perímetro urbano da cidade.

“O trecho entre o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o antigo aeroporto está com pelo menos uns 15 remendos, o asfalto está soltando em um trecho que já passou por terraplanagem, drenagem e deveria estar com a pavimentação lisinha para não dar problemas nos próximos três anos. Estão sendo gastos com a obra, só no perímetro urbano, mais de R$ 54 milhões. [Isso] é um absurdo”, disparou o vereador Milton Mutum (PSD). 

Parlamentares querem que o prefeito exija explicações da construtora Objetiva, responsável pela obra, que já dura três anos. São 13,5 km para pavimentação da duplicação, algo em torno de R$ 4 milhões por quilômetro.

Conforme o site Transparência, do governo federal, em 2011 foram transferidos R$ 14.240.608,71 do Ministério dos Transportes a Prefeitura de Rondonópolis para adequação do trecho rodoviário Rondonópolis - Cuiabá - Posto Gil.

Ontem, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) impediu que a pista fosse interditada para a execução da obra. A construtora queria a liberação da pista antiga para fazer a reabilitação da pavimentação nova. Contudo, a PRF informou que a pista antiga não tem condições de trafegabilidade, pois o cascalho está se soltando, não há sinalização e nem segurança suficiente para a liberação do tráfego.

 

De Rondonópolis - Débora Siqueira

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário