27/02/2015 - Bloqueio de estradas deixa dez cidades de MT sem combustível

O desabastecimento na região Norte tem causado reflexos na colheita de soja na região

 

Pelo menos 10 cidades de Mato Grosso já registram falta de combustível devido ao protesto dos caminhoneiros, que bloqueiam 10 pontos nas BRs 163, 364 e 070, apesar da decisão judicial que determinou a desobstrução imediata das rodovias, na noite de quarta-feira (25).

De acordo com informações do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindepetroleo), as principais cidades atingidas são as do Norte do Estado, mas Cuiabá e Várzea Grande também já registram falta de alguns tipos de combustíveis.

Muitos dos postos de gasolina localizados em Tapurah, Itanhangá, Nova Maringá, Alta Floresta e Guarantã do Norte estão lacrados devido à falta de todos os tipos de combustíveis – gasolina, etanol, diesel e diesel S10.


Nas cidades de Sinop, Rondonópolis e Lucas do Rio Verde, o problema também ocorre, mas em menor escala, visto que houve a liberação de carretas carregadas de combustíveis na noite de ontem.


A medida foi adotada, de acordo com o caminhoneiro Carlos Alberto China, para não causar tantos problemas aos moradores da região. “Nosso protesto não é para atingir o trabalhador, que precisa, mas o Governo também tem que olhar por nós e ver que nós movemos o país”, comentou.

O desabastecimento também atinge os municípios de Sorriso e Terra Nova. No entanto, nestes locais, todos os postos de gasolina continuam operando, mas com falta de determinado produto, segundo o Sindipetróleo.


Essa situação se repete também em Cuiabá e Várzea Grande. Até o momento, apenas dois postos de gasolina já registram falta de diesel e etanol. 


Por enquanto, os preços subiram aproximadamente 10 centavos, conforme informações do Sindipetroleo.

Colheita

A falta de combustível na região Norte tem causado reflexos na colheita de soja, de acordo com Silvésio de Oliveira, vice-presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja).

Em alguns municípios, a colheita já está parada, visto que não há mais diesel para abastecer as máquinas.


Conforme levantamento realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) com 540 produtores rurais, 20% deles não têm mais diesel para utilizar nos maquinários das lavouras e 80% têm o combustível para apenas mais cinco dias, em média. 

“Esse prejuízo é incalculável, porque não é a máquina parada, em si, mas o grão que deixa de ser colhido e vai se perder na lavoura. Nós estamos em torno de 40% da área colhida e essa região é a maior produtora do Estado”, comentou.


Segundo Silvésio, o produtor tem estocado o combustível, mas a situação já chegou a um ponto crítico.


“Agora, começa a falta de combustível em alguns postos, alguns depósitos não têm mais gás de cozinha. Pelo menos metade da região Norte, aqui, está sem combustível. O resto termina de hoje para amanhã. Não temos mais como abastecer as máquinas. Agora começa a causar prejuízo”, afirmou.


Além do atraso da colheita, os produtores sofrem com o transporte do grão aos silos. Por isso, a Associação já deu inicio ao diálogo com os caminhoneiros para liberarem novamente esses trechos, como ocorreu em Sinop, Rondonópolis e Lucas do Rio Verde.

“Deixar o grão perder não tem como. Por isso, nós estamos conversando com as organizações dos protestos para que elas liberem novamente a passagem de combustíveis, ração para animais e alimentos. Ainda não temos resposta, mas queremos um acordo”, comentou.

Bloqueios

Apesar da decisão judicial proferida na quarta-feira pelo juiz César Augusto Bearsi, da 3ª Vara Federal do Estado, que determinou a desobstrução imediata das BRs, sob pena de multa de R$ 1 mil por cada dia, o movimento permanece.


Atualmente, os bloqueios são realizados na BR-163, no Km 397 (Km 306 da BR-364), em Cuiabá, no Km 845, em Sinop, no Km 598 em Nova Mutum, o Km 686 em Lucas do Rio Verde e Km 746, em Sorriso.


Além destes locais, a interdição ocorre no Km 203 da BR-364 (Km 122 da BR-163), em Rondonópolis, e nos Km 588 e 614 da BR 364, em Diamantino. Já na BR-070, a interdição acontece no Km 247 e 285, em Primavera do Leste.


Conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a retirada imediata dos caminhoneiros não foi realizada, pois o órgão ainda não foi notificado da decisão judicial.

A Força Nacional também já foi acionada para dar apoio a PRF, caso necessário, nas ações para finalizar o bloqueio.

 

 

Karine Miranda 
Da Redação

 

Comentários

Data: 27/02/2015

De: ELEITOR

Assunto: RESPONDE VANESSA

A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MATO GROSSO TEM 24 DEPUTADOS.
POR QUE SERÁ QUE NESSE SITE SÓ APARECE NOTICIA DE UMA ?
SERÁ QUE ROLA UM DIM DIM ?

Novo comentário