27/03/2015 - PM expulsa sargento acusado de assalto a posto em Cuiabá

Sistema de segurança flagrou ação do militar, com dois comparsas, no bairro Morada do Ouro

 
Um sargento da Polícia Militar foi expulso da corporação após ser acusado de comandar um assalto a um posto de gasolina, localizado no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá. 

O ato de demissão é foi publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta quinta-feira (26). 

A decisão é do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Zaqueu Barbosa, ao considerar que o policial “incorreu em conduta irregular e infringiu normas disciplinares que ferem os deveres, os valores éticos, morais e os princípios constitucionais”. 

O suposto assalto ocorreu em janeiro de 2013, no Posto Lidergás, localizado na Avenida Djalma Ferreira, próximo ao Parque Massairo Okamura.

De acordo com denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o militar e outros dois homens roubaram aparelhos celulares das vítimas, que estavam no posto. 
Em depoimento, as vítimas afirmaram que foram trancadas em um banheiro, enquanto o PM e os dois comparsas fugiam. 

Flagrante

De acordo com a Corregedoria da PM, o militar foi autuado em flagrante delito pela prática de roubo consumado a estabelecimento comercial. 

Ele foi denunciado pela 18ª Promotoria de Justiça Criminal da Comarca
de Cuiabá.

Consta nos autos que o assalto foi gravado pelo sistema de monitoramento do posto. 

O Ministério Público Estadual requereu a condenação do policial militar com base "nas penas do artigo 157, parágrafo 2º, incisos I, II e V c/c artigo 69 (3 vítimas) c/c artigo 92, inciso I, alíneas “a” e “b” (perda do cargo ou função pública – agiu com abuso de poder e violação de dever para com a administração pública, e pena aplicada superior a 4 anos -, todos do Código Penal".

Com base no inquérito, o Comando da PM determinou que a guarnição à qual o militar estava vinculado verifique se ele possui armamento de uso restrito, incitando-o a devolver e encaminhá-lo à Corregedoria Geral, para fins
de cancelamento do porte de arma de fogo.

Também determinou que seja feito o recolhimento da identificação funcional, do fardamento e dos apetrechos que pertença a Fazenda Publica Estadual e que estejam sob a posse do militar.

O processo tramita na 4ª Vara Criminal de Cuiabá e os três acusados respondem em liberdade.
 
 
 

Thaiza Assunção 

Da Redação

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário