27/04/2011 15h:06 Amazonense Cybele Johnson, que vivia na Itália, foi assassinada na terça. Segundo irmã, ex-namorado ligou para contar que havia matado brasileira.

‘Ele ligou e disse: ‘Cybele está morta’', diz irmã de ex-modelo assassinada

Eram 9h20 da manhã desta terça-feira (26) em Manaus quando o telefone tocou na casa da família da ex-modelo Maria de Assis Cybele Johnson. A mãe da amazonense, Cibele de Assis, 84, participava de uma novena quando ouviu do outro lado da linha uma voz dizer que a filha estava morta.

“Ele ligou e disse para minha mãe: ‘Cybele está morta’”, contou ao G1 a irmã da ex-modelo, Vera Lúcia Johnson de Assis.

De acordo com a irmã, o autor do crime foi o contador italiano Stefano Tassoni, de 61 anos, que se suicidou após trocar tiros com a polícia. Numa carta, Tassoni teria confessado ter matado Cybele e dizia que estava numa cidade próxima de Módena, onde ela foi morta.

Segundo o jornal "Corriere di Bologna", após o assassinato, Tassoni também enviou mensagens de celular para conhecidos afirmando que cometera o crime.

Cybele, que tinha 50 anos, vivia na Itália desde 1985, onde trabalhou como modelo. De acordo com a irmã, ela conhecera Stefano há cerca de 3 anos quando vivia em Milão. Os dois tiveram um rápido relacionamento e depois ficaram amigos.

“Ele sempre ia na casa dela. Saiam com amigos para jantar fora. Mas ele ainda gostava dela e ela não gostava mais dele. Não tinham uma relação de amor, mas de amizade”, conta Vera Lúcia. “Inclusive parece que ele estava tendo uma relação com outra brasileira. Não sei por que acabou tirando a vida da minha irmã”, disse.

Segundo Vera Lúcia, apesar de viver fora há 26 anos, Cybele era muito ligada à família e ligava para os familiares todos os dias.

Um sobrinho da ex-modelo que vive em Londres está na Itália para liberar o corpo. Segundo a irmã, a previsão é que chegue em Manaus, onde será velado e enterrado, no domingo.

 

Do G1, em São Paulo