28/04/2012 XINGU: UM TAPA NA CARA DE MATO GROSSO E DO BRASIL

Xingu; o filme estreiou nas principais telas do país, provocando o maior frenesi e uma tietagem tupiniquin a beira da mais completa idiotice. Pior de tudo isso, a película que escracha e desmoraliza o Estado Brasileiro e  todo  seu “establisment governamental,” custou a ninharia de 15,5 milhões e entre os seus benevolentes patrocinadores estão o BNDES, a Eletrobras e a Sabesp, empresas públicas que pagaram pela produção de uma obra cinematográfica que “Xinga e achincalha o Brasil de ponta a ponta.” A expressão ideológica do filme, não reflete a realidade do fatos históricos que marcaram a Marcha para o Oeste e nem tão pouco, os objetivos civicos e politicos-militares da expedição Roncador-Xingu. Com um roteiro pretencioso e desvairado, completamente distante da obra original e do pensamento dos irmãos Villas Boas, o filme, é literalmente um “tapa cinematográfico” na cara do estado de Mato Grosso e do Brasil.

Os diretores e produtores desse filmete, entre tantas, devem pelo menos uma explicação ao povo brasileiro e em especial, aos matogrossenses, revelando quais os motivos que os fez trocar os cenários reais e a rota verdadeira da expedição Roncador-Xingu!? Afinal, por que foram montar a cidade cenográfica no Tocantins,  um estado que nem existia na época da saga contemporanea e de conquista definitiva do centro oeste brasileiro, da qual, muitas outras ilustres figuras foram protagonistas. Certamente, optaram por manterem um distanciamento territorial e politico da via-crusis real, para que pudessem profanar a história e reescreve-la a bel prazer e de acordo com as suas razões xenofobicas e estereotipadas sobre a civilização moderna, que nunca sera perdoada por ter colonizado os nativos das terras brasilis. Pode ser tambem, que as autoridades do governo matogrossense, absortos na produção de soja e ávidos em expandir a fronteria e os diversos pólos-agropecuário do estado, não se interessaram em respaldar o grandioso elenco mais o staff do set de filmagens, com a logistica necessaria a realização dessa longa metragem de mentiras.

De qualquer forma, a unica visita dos autores de Xingu, na região do Araguaia, por onde os Villas Boas, passaram e de fato viveram, foi uma ida rápida e secreta na cidade de São Félix do Araguaia-MT, localidade em que o jovem e namorador Leonardo Villas Boas, deixou devido a  sua morte prematura, uma viúva e dois filhos, abandonados e renegados a pobreza extrema, pelos cultuados cunhados; Orlando e Claúdio. O tal emissário dos produtores do “Xingu falso,” chegou sorrateiro na cidade e bem orientado para não dá “bizu,” pagando um irrisório valor sobre os direitos autorais que os herdeiros tem sobre a gorda fatura do falecido pai. Não há dúvidas, de que existe um ou vários espertalhões, embolsando os lucros póstumos que Leonardo Villas Boas, tem sobre este filmete e tantas outras produções que usa e abusa de sua legendária imagem, há muito, alçada a galeria dos poucos e veneravéis heróis que o Brasil possui. Justiça a parte, isso merece um inquérito policial.

KALIXTO Guimarães

Comentários

Data: 30/04/2012

De: Onoroso Peregrino

Assunto: Xingu - Vergonha Nacional

Pela primeira vez eu vi o Calixto escrever alguma coisa interessante.
Conordp em grau, número e gênero.

Data: 29/04/2012

De: OBSERVADOR

Assunto: COMPARTILHAMENTO

É uma pena o site não ter opção de compartilhamento em outras redes sociais, tem muita reportagens boas que merecem serem compartilhas.

Data: 30/04/2012

De: Márcio

Assunto: Re:COMPARTILHAMENTO

É só copiar o link na barra de endereço e colar na sua timeline do facebook, twitter ou orkut.

Novo comentário