27/04/2015 - Maluf afirma que projeto aproxima o poder público da sociedade

O presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf (PSDB) afirmou que o projeto ‘Promotoras Legais Populares’ desenvolvido juntamente com o Ministério Público Estadual (MPE), aproxima o poder público da sociedade, em função de mulheres receberem orientações sobre cidadania para se tornarem multiplicadoras em seus bairros.

Na noite desta quinta-feira (23), na Assembleia Legislativa, durante entrega do certificado para 39 mulheres que participaram da segunda turma do projeto, Maluf e o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, definiram pela continuidade do projeto e a terceira turma deve ter início a partir do mês de maio.

O projeto é uma parceria entre a Assembleia Legislativa, através da Sala da Mulher e o Ministério Público Estadual (MPE), para que líderes comunitárias sejam preparadas para multiplicar em seus bairros, conhecimentos relacionados ao exercício da cidadania e também detectarem possíveis problemas domésticos na comunidade.

Guilherme Maluf lembrou que o país atravessa momento de crise e que será combatida com o conhecimento. “Não tenho dúvida que será vencida com o conhecimento, discussão. Antigamente, tentava-se vencer com armas, ditadura, guerra e não deu certo. Apenas o conhecimento vai mudar a história do Brasil e essa transformação começa aqui, com essas mulheres que serão multiplicadoras nos seus bairros para diminuir a violência contra a mulher e garantir mais cidadania”, afirmou.

Esse projeto, de acordo com Maluf, é transformador, pois as líderes comunitárias foram capacitadas durante um ano assistindo palestras, debatendo, participando de oficinas e ajudarão a melhorar as suas comunidades, com menos conflitos.

“É obrigação do poder público sair das nossas instituições e desenvolver ações junto das comunidades. O número de mulheres que já sofreram violência e recebem é expressivo, e essas lideranças foram capacitadas e poderão levar conhecimento para se prevenir futuros atos. Por isso, vamos continuar esse projeto que é uma lição de cidadania”, argumentou.  

Procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, afirmou que enquanto estiver à frente do Ministério Público Estadual, o projeto continuará sendo desenvolvido.

“Seria um desaforo com a sociedade, se deixasse esse projeto morrer, então tem que ter a terceira turma e em maio vamos reunir para começarmos, com certeza, com o apoio da Assembleia Legislativa. Devemos ressaltar o trabalho de todos, pois sábado geralmente é um dia de ficar com a família, descansar, mas essas mulheres vieram porque acreditam na possibilidade de um mundo menos agressivo, mais igual, onde as pessoas consigam olhar umas para as outras e realmente enxerguem nelas, um semelhante”,  disse.

Também participaram do evento, o deputado estadual Wilson Santos, a promotora de Justiça e coordenadora do Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica de Cuiabá, Lindinalva Rodrigues, a presidente de honra da Sala da Mulher, Maria Teresa Maluf, a juíza da Primeira Vara de Violência Doméstica, Ana Cristina Silva Mendes, a coordenadora da Escola do Legislativo, Érica Bussiki.

 

Kleverson Souza

Assessoria da Presidência

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário