27/04/2016 - Grupo é investigado por 40% das mortes em Várzea Grande

27/04/2016 - Grupo é investigado por 40% das mortes em Várzea Grande

A polícia investiga a relação das 17 pessoas presas na Operação Mercenários com 40% dos homicídios ocorridos entre 2013 a 2016 em Várzea Grande. Seis policiais militares também foram detidos temporariamente acusados de participação em pelo menos 5 mortes nos dois últimos meses na cidade industrial.

Segundo o secretário da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Rogers Elizandro Jarbas, os integrantes da organização criminosa recebiam uma quantia em dinheiro para matar qualquer tipo de pessoa. “Seja por uma questão de tráfico de drogas, roubos ou até mesmo em casos de amantes, eles eram mercenários recebiam e matavam por dinheiro”.

Alguns integrantes do grupo já eram investigados desde 2013 em mortes na cidade. Rogers disse que todos os envolvidos serão penalizados pelos crimes. “Ninguém (6 PMs envolvidos) está acima da Lei. Eles têm o direito de defesa, apreendemos armas e munições, todos receberão o processo legal como qualquer cidadão. Não concordamos com qualquer ação criminosa”.

A delegada da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), Anaíde Barros, explicou que o grupo praticava um 'comércio da morte'. “Os criminosos montaram uma verdadeira organização criminosa, com agenciadores, olheiros e infiltrastes, que matavam qualquer pessoa por dinheiro”.

Durante a operação foram apreendidos 19 armas de diversos calibres e também 658 munições, além de camisetas, calças pretas, roupas camufladas, capuz, luvas, placas de veículos, rádios comunicadores e veículos.

O secretário da Sesp explicou que durante as investigações desta operação outras pessoas podem ser presas acusadas de participação nestes 5 homicídios ou outros crimes ainda não divulgados para garantia do sucesso do inquérito. 

Entenda o caso

A operação Mercenários foi deflagrada nesta terça-feira (26) para desarticular a prática de crimes de homicídios com fins meramente financeiros. As prisões temporárias com validade de 30 dias foram decretadas pela 1ª Vara Criminal de Várzea Grande. 

As investigações apontam que os 17 presos até o momento possuem algum tipo de ligação com 5 homicídios ocorrido nos últimos 2 meses em Várzea Grande, são eles:

3 de março bairro Costrumat.
Vítima: Cleiton Albuquerque de Magalhães, 27 anos.

13 de Março bairro Manga
Vítima: Rodrigo Fernando de Arruda, 34 anos.

20 de março bairro Construmat
Vítima: Luciano Militão da Silva, 37 anos

4 de abril bairro Centro
Vítima: Eduardo Rodrigo Beckert,35 anos.

13 de abril bairro Cristo Rei
Vítimas: Márcio de Melo de Souza, 38 anos; W.O.P, 17 anos e Vinícius Silva Miranda,24 anos


Armas apreendidas

5 revolveres calibre 38
4 pistolas ponto 380
3 pistolas 9 mm
2 pistolas ponto 40
1 pistola ponto 765
1 espingarda calibre 22
1 espingarda calibre 12
1 espingarda de pressão
1 carabina calibra 38

Munições apreendidas

151 calibre 380
186 calibre 38
124 calibre 164
76 calibre 9 mm
67 calibre ponto 40
35 calibre ponto 765
8 calibre 12
2 calibre 32
1 calibre ponto 45

 

 

Jéssica Moreira, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário