27/05/2016 - Ex-secretários devolvem R$ 17,5 milhões em MT

A juíza Selma Rosane dos Santos Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, homologou parcialmente os acordos de colaboração premiada de César Zilio e Pedro Elias, que ocuparam, respectivamente, os cargos de secretário e secretário-adjunto de Administração de Mato Grosso durante a gestão de Silval Barbosa. Eles são acusados de participarem de esquema de concessão fraudulenta de benefícios fiscais a empresas por meio do Prodeic. O grupo seria chefiado por Silval, que está preso desde setembro de 2015.

 

Por meio da delação, Pedro Elias se comprometeu a devolver aos cofres públicos R$ 2,050 milhões. Nesse valor estão incluídos três apartamentos, uma sala comercial e três terrenos que somam aproximadamente R$ 850 mil. O restante, R$ 1,2 milhão, deverá ser devolvido via depósito em conta judicial num prazo de um ano e meio. A defesa do ex-secretário é feita pelo advogado João Bosco Ribeiro de Barros Júnior.

 

Já César Zilio, que é advogado, deverá devolver um terreno localizado na Avenida Beira Rio, na capital, avaliado atualmente em R$ 15,5 milhões e aproximadamente R$ 1,3 milhão em espécie. Deverá ainda regularizar pagamento de impostos, que somariam cerca de R$ 400 mil. Esses compromissos deverão ser cumpridos em até um ano e meio. Uma das garantias que Zílio ofereceu no acordo são 700 cabeças de gado. As informações são do advogado Huendel Rolim.

 

A juíza, entretanto, negou a parte do acordo proposto pelo Ministério Público do Estado para que os acusados não fossem denunciados pelos crimes da operação Sodoma. Também já foram homologadas as colaborações premiadas de outros dois suspeitos de participação no esquema. A ação principal do caso tem 17 réus.

 

Tanto Pedro Elias quanto César Zilio chegaram a ser presos durante as investigações, assim como Silval Barbosa, e os também ex-secretários Pedro Nadaf e Marcel de Cursi. Desses cinco, os três últimos continuam presos. A operação Sodoma foi deflagrada em setembro de 2015 e chegou à terceira fase neste ano, levando à prisão, entre outras pessoas, o médico Rodrigo Barbosa, filho de Silval.

 

 

 

Carolina Holland 

G1

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário