27/05/2016 - 75 crianças são disputadas por 710 famílias

O número de pretendentes à adoção em Mato Grosso é aproximadamente 10 vezes maior que o número de crianças que aguardam um lar. No Estado, 75 crianças estão aptas para ter uma nova família. Destas, 21 estão em Cuiabá e Várzea Grande. Já o número de pretendentes chega a 710 pessoas.

Mesmo com um número de pretendentes à adoção maior que o número de crianças, muitas delas não serão adotadas porque já possuem mais de sete anos. Pensando nessa maioria, é que o Poder Judiciário de Mato Grosso realizou nesta quarta-feira (25), no Dia Nacional da Adoção, no Parque Mãe Bonifácia, um “Movimento pela Adoção”.

O tema esse ano é adoção tardia e busca desmistificar opiniões formadas pela sociedade quanto à adoção de crianças mais velhas. Segundo a secretária executiva da Comissão Estadual Judiciária de Adoção (Ceja), Elaine Zorgetti Pereira, cerca de 50% das crianças que aguardam um novo lar não são adotadas porque o seu perfil não encaixa com as exigências do pretendentes. “São crianças que estão fora de um padrão que é estabelecido pelo próprio pretendente que, muitas vezes, por falta de informação cria uma resistência em adotar uma criança mais velha”.

Conforme Elaine, durante o movimento ocorrerá uma caminhada, um bate-papo com dicas de saúde e orientações sobre a habilitação de futuros pais adotivos e o esclarecimento de alguns mitos impostos sobre o tema, divulgar o processo de adoção e conscientizar as pessoas sobre a importância de se abrirem para o amor. “O objetivo é sensibilizar a sociedade para a necessidade dessas crianças que também precisam de amor e de uma família”.

Adoções

No ano passado, 156 sentenças de adoções foram concluídas no Estado. Segundo Elaine, visando a celeridade nos processos de adoção, a Corregedoria determinou que todos os juízes da Vara da Infância em Mato Grosso dessem prioridades a esses processos. “A consequência dessa determinação será a celeridade nos processos para garantir às crianças o que é de direito, um lar e uma família”.

Outra ação que deve agilizar os processos é o Cadastro Estadual Informatizado de Pretendentes que foi expandido e já está em funcionamento nas comarcas de Mato Grosso, desde o início de abril. 

Essa ferramenta tecnológica permite que os pretendentes a pais adotivos iniciem o processo de habilitação pela internet, não sendo mais necessário o deslocamento até a Vara da Infância e Juventude.

 

 

Dantielle Venturini, repórter de A Gazeta