27/09/2013 - Meu projeto é lutar pela vida, desabafa Homero ao explicar renúncia da Câmara

O deputado federal mato-grossense Homero Pereira (PSD) encerrou nesta quinta-feira (26) sua vida pública após dois mandatos na representação do estado no Congresso Nacional. Após divulgar no dia anterior sua aposentadoria por força do tratamento contra o câncer, o agora ex-parlamentar convocou coletiva de imprensa em Cuiabá para, segundo ele, prestar satisfação à sociedade a respeito de sua decisão e encerrar sua trajetória como político. "Foi uma decisão meramente médica. Não por vontade própria, mas por um problema biológico. Estou lutando pela vida", declarou.

 

Quatorze quilos mais magro após passar por 15 sessões de quimioterapia, duas cirurgias (sendo uma delas a retirada integral do estômago, órgão afetado pela doença) e já sem o bigode que marcou sua fisionomia ao longo de anos, Homero agradeceu aos eleitores que, desde 2006, levaram-no duas vezes ao mandato de deputado e pediu licença para, agora, depositar todas as energias ao tratamento contra o que classificou como uma variação atípica de câncer. "Os médicos decidiram que meu tratamento será mais prolongado do que eu esperava. Estou acometido de uma doença atípica a que os protocolos de tratamento não estão dando o resultado esperado. Consciente dessa limitação, eu preciso, mais do que nunca, concentrar as energias que eu tenho no meu tratamento”, explicou Homero, acrescentando que prefere deixar o mandato a gerar expectativas ou prejudicar o estado...

 

Aposentadoria

O pedido de aposentadoria já foi aceito pela presidência da Câmara dos Deputados e foi também publicado no Diário Oficial da União, de forma que, agora, o suplente Ságuas Moraes (PT), atual secretário estadual de Educação em Mato Grosso, deve ser convocado para assumir o mandato em caráter definitivo.

 

Seguindo a linha do já falecido senador Jonas Pinheiro, Homero lembrou na entrevista desta quinta-feira que sempre se pautou pelo agronegócio durante sua atuação no Congresso. Produtor rural e técnico agropecuário, ele presidiu a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), a maior existente no Congresso Nacional (com 241 deputados federais e 30 senadores), e avaliou que desempenhou com respeito o papel de líder durante os dois mandatos.

 

Ele, porém, esclareceu que Ságuas deverá desempenhar um outro papel, levantando provavelmente a bandeira da educação. “O mandato agora é dele”, enfatizou.

 

Homero já conversou com o partido sobre sua saída da vida política e agora aguarda os resultados de um exame em laboratórios nos Estados Unidos a fim de averiguar o tipo de tumor que lhe acometeu e tentar descobrir uma alternativa de tratamento.

 

Na entrevista coletiva desta quinta-feira, que considerou o marco final de sua trajetória na política, mostrou-se sereno e refletiu diversas vezes a respeito da condição humana diante de uma doença tão complexa quanto o câncer. “Todos nós somos limitados. É bom a gente sempre refletir sobre isso. A gente é um grão no Universo. Muitas vezes, nesse mundo político, a gente se acha meio poderoso demais, a gente faz projetos de longo prazo, a gente acha que é meio super-homem. Eu tive que trabalhar muito a cabeça, como ser humano, para poder entender a nossa pequenez diante do Universo. Então, nesse momento, meu projeto é um projeto de vida. Estou lutando pela vida e a minha prioridade é essa. A luta é enorme, é grande. Eu tenho certeza que vou superar, mas não poderia fazê-lo sem antes dar essa satisfação, não só para meus eleitores, mas para toda a sociedade mato-grossense. Por minha limitação biológica estou me retirando da vida pública para poder continuar vivendo como cidadão no meio de vocês”.

 

Escrito por G1

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário