27/09/2016 - 90% dos servidores estaduais vão receber salário em setembro; em outubro porcetagem pode ser menor

Como esta coluna divulgou ontem, o servidor público de Mato Grosso vai mesmo receber o salário de setembro de forma escalonada. Dos males aconteceu o menor, o governador bateu o martelo e pelo menos 90% dos servidores vão receber o salário no dia 30, dois dias antes do pleito eleitoral. O restante, só no dia 10 de outubro. Mas, isso não é garantido para o final de outubro e nem para os meses seguintes. O percentual daqueles que podem receber no último dia de outubro pode ser bem menor.   

 

Quando divulgamos a informação de que o salário de setembro seria escalonado, como foi confirmado posteriormente, era para ser de uma forma bem mais terrível aos servidores. A ideia, segundo vários fontes ouvidas pelo portal de notícias 24 Horas News, era pagar na próxima semana apenas os funcionários públicos cujos salários não ultrapassassem os R$ 3 mil. O restante do trabalhadores receberiam em dias alternados até o dia 10 de outubro.   A mudança teve uma razão: as eleições municipais. 

 

O governador Pedro Taques (PSDB) quer fazer maioria nos 141 municípios do Estado e mais do que isso quebrar um longo jejum de que o governador não consegue eleger o prefeito de Cuiabá. Assim, para não sepultar de uma vez por todas as chances de seu candidato Wilson Santos ir para o segundo turno foi preciso uma solução paliativa: pagar os salários de pelo menos 90% dos servidores, os que ganham até R$ 6 mil líquidos.   Pelo menos foi um alívio para os servidores. Resta saber se em outubro com a possibilidade quase iminente de Wilson Santos não ir para o segundo turno se o governo irá bancar no último dia do mês os salários de todos os servidores, ou se o escalonamento vai continuar e beneficiando, no primeiro momento, menos servidores, só os que recebem até R$ 3 mil.   

 

O governador alega que com a atual crise econômica que o Brasil vem passando, que atingiu todos os Estados a única forma de pagar será tendo ajuda de Brasília. Ele cobra o FEX, que recebia regularmente de Dilma Rousseff (PT), a quem apoiou o impeachment. Não tem recebido de Michel Temer (PMDB), a quem apoio efusivamente na queda de Dilma. Fará nova cobrança ao presidente. Vai com o pires na mão cobrar também mais recursos para não entrar no rol dos governadores que atrasam os salários. Será que vai conseguir? Na atual conjuntura parece difícil. 

 

 

 

24 Horas News

Comentários

Data: 28/09/2016

De: Luis Gonzaga Domingue

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

O povo brasileiro é considerado o mais analfabeto político (90%) e funcional (80%) da Terra e nossa região segue o mesmo modelo do país, pois o lugar onde tem mais analfabeto funcional e político. A população pobre vota através de favores que os candidatos a político realizam como: ajuda de transporte, alimentação, remédios, etc. Portanto, acabam votando nos ricos e em alguns casos votam em pessoas de origem humilde/pobres que são na sua maioria analfabetos políticos e funcionais. Eles não sabem nenhuma teoria e muito menos conceitos relativos à política, estatuto, filosofia do partido, proposta de sociedade em termos econômicos, sociais, políticos, religião e nunca leram os principais pensadores ou autores sobre o assunto. É dessa maneira que a sociedade brasileira prática e desenvolve sua cidadania (política), ou seja, da forma mais errada e utilizando-se de conhecimento do senso comum. E tal do governo golpista do Temer(PMDB) e o DEM, PP, PR, PSD, PSC, PSB e PSDB querem aprovar o projeto que como denominação “Escola sem partido”. Isso quer dizer que somente os ricos podem discutir política., ou seja, realizar debates ou discussões sobre educação, saúde, economia, lazer, futebol, religião, transporte e outros temas não fossem ato político. Kkk... Que vergonha! Cadê os professores! Fala-se tanto em interdisciplinaridade, multidisciplinaridade, visão holística do mundo e também do uso da dialética com objetivo de entender as contradições da sociedade brasileira e mundial em todos os aspectos.
Obs.: A porcentagem divulgada e citada acima é resultado de pesquisa realizada pelo IBGE.

Novo comentário