27/09/2016 - Fazenda de Palloci em Rondonópolis é alvo da Lava Jato

Por determinação do juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, agentes da Polícia Federal de Mato Grosso foram acionado para entrar na Operação Lava Jato, que está, nesta segunda-feira, em ação na 35ª fase. Os agentes foram até uma fazenda no município de Rondonópolis para realizar o trabalho de busca e apreensão de documentos da propriedade que seria do ex-ministro de Lula e Dilma, Antônio Polocci, peso na manhã desta segunda-feira em um bairro nobre da capital paulista.

 

A Operação, denominada “Omertá” está cumprindo 45 mandados judiciais, sendo 27 de busca e apreensão, sendo uma delas em Rondonópolis. A reportagem do portal de notícias 24 Horas News tentou um contato com a se da PF naquela cidade, mas a única informação recebida foi a de que agentes ainda estavam na sede da fazenda de Polocci, fazendo a juntada de documentos que serão posteriormente enviados para o juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba.

 

O envolvimento do ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff surgiu na delação do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Segundo o delator, em 2010, o doleiro Alberto Youssef teria lhe pedido R$ 2 milhões em propinas do Partido Progressista para a campanha presidencial de Dilma. Alberto Youssef hoje está preso na PF em Curitiba.

 

O nome “Omertà” dado à investigação policial é uma referência a origem italiana do codinome que a construtora usava para fazer referência ao principal investigado da fase ("italiano"), bem como ao voto de silêncio que imperava no Grupo Odebrecht que, ao ser quebrado por integrantes do “setor de operações estruturadas” permitiu o aprofundamento das investigações. Além disso, remete a postura atual do comando da empresa que se mostra relutante em assumir e descrever os crimes praticados.

 

 

 

 

Jonas Jozino / Redação 24 Horas News

 

Comentários

Data: 28/09/2016

De: Luís Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Eu consigo entender por que a Polícia Federal e o STF é prende gente ligado ao PT e partidos que defendem os pobres e trabalhadores, mas os ricos que são representados pelos partidos, como: PSDB, DEM, PP, PR, PSC, PMDB que assaltam a sociedade brasileira desde o período colonial e são citados em várias denuncias por corrupção. No capitalismo a corrupção é uma características do mesmo, já que os empresários sonegam impostos, roubam o dinheiro público, escravizam os trabalhadores e mandam seus lucros para paraísos fiscais. Ninguém faz nada contra eles até por que comem e bebem junto com os políticos com o dinheiro do povo. Querem mais!

Novo comentário