27/10/2014 - Aldeias indígenas de Barra do Garças registram presença maciça nas urnas

Um dos marcos das Eleições Gerais de 2014 na região de Barra do Garças/MT (500 Km de Cuiabá) foi o maciço comparecimento dos eleitores indígenas às urnas no primeiro turno. “O índice de abstenção verificado em 05 de outubro, primeiro turno, foi baixíssimo entre os índios. Nossa expectativa é que este fato se repita na votação de amanhã”, pontua o juiz eleitoral da 47ª Zona Eleitoral do município, Bruno D’Oliveira Marques.

 

A eleição em Barra do Garças é um desafio, conforme avaliação de Bruno D’Oliveira. Os principais problemas são as dificuldades de acesso, como as encontradas na aldeia Namukura, onde só se chega de camionete traçada, devido ao longo trecho de estrada não pavimentada. Também há as aldeias distantes. A Sangradouro, por exemplo, está localizada a 225 km de Barra do Garças, bem próximo de Primavera do Leste.

 
O juiz eleitoral destaca que o sucesso das Eleições no município foi por conta da dedicação dos órgãos públicos e cidadãos, que se juntaram com objetivo de desenvolver o processo eleitoral e a democracia no País “Foi uma grande massa de pessoas envolvidas, que trabalharam de mãos dadas, desenvolvendo com competência este processo que é tão importante para a democracia. É um trabalho conjunto da Justiça Eleitoral, polícias Civil, Militar e Federal, Exército, instituições públicas e sociedade”.
 
A 47ª ZE abriga cinco aldeias, três em Barra do Garças e duas em General Carneiro. Do total de 6.600 indígenas da região, aproximadamente dois mil estão aptos a votar. O cartório eleitoral trabalha em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai) para garantir a tranquilidade das eleições nestes locais de votação.
 
 
Adilvan de Sousa Lopes é uma das servidoras da Funai que ajudaram a organizar o pleito eleitoral no município. Trabalhando pela terceira vez em eleição, ela se disse orgulhosa por contribuir com a democracia. “Nós orientamos os indígenas sobre a escolha consciente do governante, que exercendo o papel de cidadão ele pode melhorar o município e o País. O índio se sente mais tranquilo com nossa presença. Ele nos conhece, confia no que dizemos a ele. Temos também a responsabilidade de fazer com que estes eleitores estejam em dia com a Justiça Eleitoral”.
 
Exercendo a função de motorista durante as Eleições, o Xavante Sabino Elias Umnhati Tsirobo ficou responsável por levar alimentos, equipamentos e a equipe do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) para a Escola Estadual Dom Filippo Rinaldi, localizada na aldeia São Marcos, próxima a General Carneiro, em local de fácil acesso.  “O transporte foi tranquilo, em estrada boa, sem atoleiro. Também fiz um trabalho de orientação, ajudando aqueles que não sabem ler”, explica o Xavante, que trabalhou no pleito pela primeira vez este ano.
 
Tecnologia – Nas cinco aldeias indígenas e cinco distritos que fazem parte da jurisdição da 47ª ZE o uso da tecnologia via satélite por meio dos Bgans é indispensável. Sem o equipamento não seria possível a totalização em uma hora e meia, tempo gasto em Barra do Garças no primeiro turno. Dos 41.573 mil eleitores do município, aproximadamente 8.500 mil são de comunidades rurais de General Carneiro, Ribeirãozinho e Torixoréu. Já os dois mil eleitores indígenas fazem parte das aldeias Sangradouro, Namukura, Nossa Senhora do Guadalupe, São Marcos e Meruri.
 
Urnas - Na tarde de sexta-feira (24/10) foi finalizado o trabalho de conferência visual das 75 urnas da 47ª ZE de Barra do Garças. A cerimônia de carga e lacre foi realizada no dia 17 de outubro. No primeiro turno o cartório eleitoral não enfrentou nenhum problema grave com as máquinas e nenhum equipamento precisou ser substituído. O deslocamento das urnas para os locais de votação será realizado neste sábado (25/10).
 
 
Escrito por Cenário MT

Comentários

Data: 02/12/2014

De: pcqmnhkvd@gmail.com

Assunto: canada goose outlet

Data: 02/12/2014

De: pcqmnhkvd@gmail.com

Assunto: ugg boots

Novo comentário