27/10/2015 - Governo do Estado lança programa de sustentabilidade nos órgãos estaduais

O governo estadual aderiu, na tarde desta segunda-feira (26), ao programa Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) junto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). O secretário-executivo do ministério, Francisco Gaetani, representou o órgão. A proposta é incluir a questão no cotidiano do ambiente de trabalho de todos os órgãos estaduais, começando por Meio Ambiente, Cidades, Gabinete de Assuntos Estratégicos e Educação.

“Economizar água, papel e energia elétrica são pequenos gestos que podemos fazer no nosso órgão e que fazem toda a diferença”, observou a secretária de Meio Ambiente, Ana Luiza Ávila Peterlini. Está no acordo de resultados da Sema oferecer suporte às demais pastas em vários aspectos, como: gestão de resíduos sólidos e perigosos gerados; redução de consumo e reaproveitamento de materiais; combate ao desperdício de energia e de água; cidadania, ética, equidade, segurança e qualidade de vida no trabalho. 

Na solenidade, o governador Pedro Taques (PSDB) lançou, também, o programa Cultivando Água Boa, uma parceria com a Itaipu Binacional para preservação de bacias hidrográficas, que tem como metas ajudar a frear o aquecimento global e a redução do volume de chuvas previstos para as próximas décadas. Para isso, foi assinado um termo de cooperação técnica com a empresa, que aplicará modelos de preservação já existentes no Paraná.

"Precisamos coordenar como os recursos hídricos sejam bem utlizados. O programa preserva nascentes, planta, cultiva. Mato Grosso faz parte desse mutirão nacional pela preservação da água", disse o secretário-executivo do ministério, Francisco Gaetani.

Foi lançado também o do Programa de Educação Ambiental na Agricultura Familiar (Peaaf) e do Projeto Formação de Agentes Populares em Educação Ambiental na Agricultura Familiar. O programa é do Ministério do Meio Ambiente e conta com o investimento de R$ 750 mil do Fundo Nacional do Meio Ambiente e em contrapartida das prefeituras, que disponibilizarão espaço, cozinheiras e transporte. Mato Grosso foi selecionado para participar do programa pela qualidade do projeto apresentado, segundo Gaetani.

O principal objetivo do programa é manter os jovens e mulheres no campo, a partir de cursos de capacitações voltadas para conservação da biodiversidade, regularização ambiental, desenvolvimento rural sustentável, agroecologia, comunicação e mobilização social. Ao todo, serão ministrados aulas a respeito de 15 temas ao longo de nove meses para 180 moradoras de assentamentos, comunidades tradicionais e quilombolas mato-grossenses. 

"A oficina envolve toda a comunidade, e numa etapa posterior a própria comunidade define quais são as alternativas produtivas da região. A partir daí traçamos o plano de ação. Por decisão do governador, não se discute meio ambiente sem discutir desenvolvimento social e inclusão das pessoas", disse o secretário de Agricultura Familiar, Suelme Evangelista. 

 

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário