27/11/2014 - Zé Domingos requer licença e Fabris volta à AL em momento de polêmica

O suplente de deputado Gilmar Fábris (PSD) assume a partir de amanhã (27) cadeira na Assembleia. Ele vai ficar na vaga do deputado José Domingos Fraga (PSD), que pediu licença por 121 dias, ou seja, não volta mais ao posto nesta legislatura. O acordo para algum deputado da coligação se licenciasse para suplente assumir havia sido firmado antes mesmo da eleição, mas o acordo só era para ter sido colocado em prática a partir de fevereiro de 2015.

 

Fabris volta ao Legislativo em momento polêmico, quando seu nome está em destaque devido a possibilidade de assumir cadeira no lugar do conselheiro afastado Humberto Bosaipo, que iria pedir aposentadoria proporcional. O suplente também foi acionado ontem pelo Ministério Público devido a desvio de quase R$ 400 milhões dos cofres públicos e pode ter os bens bloqueados junto com outros 10 supostamente envolvidos no esquema investigado pela Operação Cartas Marcadas.

 

A vaga do TCE causou imbróglio durante a semana. Primeiro pelo fato de Fabris ser rejeitados tanto por alguns conselheiros, mas principalmente pelos servidores, que chegaram a fazer ato contra a possível indicação dele. Depois, a Justiça determinou que o Tribunal de Contas não fizesse qualquer apreciação referente a pedido de aposentadoria por parte de Bosaipo. Nos argumentos, a juíza Célia Regina Vidotti ressalta que a saída de Bosaipo iria colocar por terra o processo existente contra ele na instância superior, pois perderia o foro privilegiado e a ação desceria para a primeira instância. O Ministério Público, por meio do procurador Luiz Alberto Esteves Scaloppe, chegou a manifestar-se contra a possibilidade de Fabris obter o cargo vitalício, devido às várias investigações que pairam sobre o social-democrata.

 

 

Valérya Próspero

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário