27/12/2012 - Mulher que viveu o cangaço de Lampião completa 103 anos

Ela está completando 103 anos. Apesar da idade avançada demonstra lucidez e uma alegria que ainda cativa às pessoas. Ao falar sobre Virgulino Ferreira, o Lampião; dona Jovelina Maria de Jesus disse que não o viu de perto porque corria toda vez que o bando se aproximava de sua casa. 

Hoje ela conta rindo esse fato, mas recorda que o bando de Lampião passou próximo a casa dela em Cícero Dantas, no interior da Bahia. Foi lá que ela nasceu dia 26 de dezembro de 1909. Hoje ela é a matriarca de uma família de 18 filhos e 80 netos em Barra do Garças. Na segunda-feira (24) a família esteve reunida para comemorar o aniversário da anciã. 

Dona Jovelina contou várias histórias sobre o cangaço que aterrorizou o nordeste brasileiro e sobre a decisão da família de trocar a seca da Bahia pela promessa que era Mato Grosso no Centro Oeste Brasileiro. A filha, Raimunda Maria de Jesus, 75 anos, que veio primeiro para região conta que ficou nove meses sem falar com a família. 

“Meu pai pensava que ele nunca mais iria ver a filha porque achavam que a gente iria morrer por aqui. Mas o tempo passou e nós buscamos a minha mãe para morar com a gente em 1962”, relembra dona Raimunda. 

Mesmo com 103 anos, dona Jovelina consegue caminhar e ainda é vaidosa. Gosta do cabelo sempre penteado e preso, de manter as unhas sempre pintadas. Ela tem dificuldade para ouvir, mas conta com lucidez às histórias que viveu entre interior da Bahia e a chegada em Mato Grosso.

 

De Barra do Garças - Ronaldo Couto

COMENTÁRIOS

Data: 21/07/2013

De: valdmario

Assunto: cangaço

Este é para mim um assunto muito interessante.

Novo comentário