28/01/2016 - Gasolina vai aumentar a partir de 1º de fevereiro

Mal começou o ano e já foi dada a partida para novos aumentos dos preços dos combustíveis. Os motoristas em Cuiabá podem pagar a partir de 1º de fevereiro, R$ 4 pelo litro da gasolina.

No dia 1º de janeiro entrou em vigor o novo valor usado como referência para cobrança do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da gasolina comum, premium, diesel e do etanol, reajustado pelo governo. Com isso, os postos aumentaram em R$ 0,05 o valor cobrado na bomba tanto para a gasolina quanto para o álcool.

Os donos das revendas garantem que a alta do início do ano é só o começo e calculam que com o novo salário mínimo e o aumento de cerca de 150% na taxa de fiscalização cobrada nos postos pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a tendência são condutores desembolsarem, em pouco tempo, R$ 4 para abastecer na Capital.

Somente no ano passado, entre janeiro a novembro, o preço do combustível aumentou três vezes e ficou 21% mais caro para o consumidor em relação a 2014.

A previsão dos empresários é de que, em fevereiro, haja um novo aumento. Isso porque, conforme explica Roberto Gurgel, gerente de um posto de combustível, na Avenida do CPA, há o reajuste no salário dos frentistas, que ganham acima do salário mínimo e recebem adicional de periculosidade, e o patronal tem que pagar o retroativo. Além disso, ele mostra que a Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TCFA), cobrada pelo Ibama aumentou em 157% em seu posto.

“É uma taxa trimestral, cujo valor varia de acordo com o perfil de cada revenda. Aqui pagava R$ 500 até o terceiro trimestre do ano passado e agora passei a pagar R$ 1,6 mil”, destaca.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 23 Estados e caíram em três. O preço mais alto registrado foi no Acre de R$ 3,79 o litro. Em Cuiabá os preços variam em torno de R$ 2,65 a R$ 2,99 o litro. O etanol deixou de ser vantajoso, enquanto a gasolina estiver fixada na casa dos R$ 3,79.

O comerciante Justino Pontes, 38, afirma que por conta da alta do combustível decidiu parar de trafegar com o seu veículo e começou a utilizar a bicicleta. “Hoje em dia o cara tem que deixar o carro na garagem e andar de bicicleta, porque a cada dia o comsbustível aumenta e reflete diretamente no nosso bolso", revela.

O vendedor externo, Willian Assunção, 45, gasta em média, R$ 500 por mês, com a gasolina para o carro e falta coragem para calcular o reajuste do custo. Segundo ele, com os constantes aumentos fica difícil até pagar outras contas.

“Com certeza atrapalha porque o consumo hoje do brasileiro é muito alto e com o valor muito alto da gasolina. Ou seja, deixa o carro em casa e vai de ônibus para o serviço, ou compra uma bicicleta. Só que o problema em andar de bicileta em Cuiabá tem dois fatores, o primeiro é o calor e o segundo é que não existe ciclovias", lamenta.

 

 

Soraya Medeiros, repórter do GD

Comentários

Data: 28/01/2016

De: O ELEITOR

Assunto: GASOLINA

PARABENS A TODOS OS ELEITORES DO PT, AGORA O AUMENTO É MENSAL, NO MUNDO TODO ESTÃO BAIXANDO O VALOR DO PETRÓLEO AQUI COMO HÁ TREZE ANOS A COISA É SÓ PARA O RETROCESSO E ELES PEGARAM O PAIS " HERANÇA MALDITA"...TA DANDO CRIA!!!

Novo comentário