28/03/2012 Caravana da Juventude Indígena, em São Félix do Araguaia (MT)

28/03/2012  Caravana da Juventude Indígena, em São Félix do Araguaia (MT)

O Projeto Caravana da Juventude Indígena 2012, organizado pela União dos Estudantes Indígenas do Tocantins (Uneit), movimentou os jovens da aldeia Santa Isabel do Morro, próxima a 4 km de São Félix do Araguaia na última semana

 

A caravana contou com o apoio da Prefeitura Municipal de São Félix do Araguaia, Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Universidade Federal do Tocantins (UFT), Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos (Sejudh) e as Secretarias Estaduais da Educação e da Juventude e dos Esportes.

O projeto teve como compromisso organizar uma programação conforme a vida e a cultura na aldeia, sendo aprovado para aplicação pelas lideranças locais da aldeia e professores da Escola Estadual Indígena Maluá. A caravana foi integrada em sua grande maioria, por universitários indígenas e demais voluntários, compondo um grupo de 16 pessoas.

Estavam presentes na abertura das atividades, o vice-cacique Wenoná Karajá, o indígena e vereador pela cidade de Lagoa da Confusão no Tocantins, Iuraro Karajá, o coordenador dos povos indígenas da Sejudh, Korralue Karajá, o indígena e professor representante dos docentes, Obedu Karajá e o presidente da Uneit, Avanilson Karajá-Xambioá...

A programação foi voltada a diversas atividades como a realização de uma gincana, onde os jovens indígenas formaram grupos por cores, trazendo aspectos da cultura karajá e somando pontos para receberem determinadas premiações.

Os jovens disputaram ainda, um torneio de futebol masculino e vôlei feminino, além de realizarem apresentações sobre temas discutidos por eles como saúde, educação, meio ambiente e cultura. Os grupos produziram de forma abundante, mostrando habilidade na produção de um documentário sobre a aldeia, na encenação de uma peça de teatro e muita criatividade na decoração das bandeiras que representavam os grupos por cores.

Para o jovem indígena e professor de Biologia e Ciência na aldeia, Leriwá Maluá, o diferencial da caravana é o fato de ser organizada por indígenas. “É importante para nós perceber como os jovens indígenas, sejam daqui ou de outros povos, buscam caminhos diferentes e devido a essa interação, buscar forças em nossa cultura”, explica ele.

No encerramento, os jovens indígenas agradeceram a presença de todos e afirmaram não existir perdedores nem ganhadores, mas, participantes das atividades.

Novas Etapas
Em seu cronograma de ações, o Projeto Caravana da Juventude Indígena 2012 deve continuar ao longo do ano em visita a mais seis aldeias dos povos Apinajé, Karajá-Xambioá, Krahô, Krahô-Kanela, Javaé e Xerente, promovendo o intercâmbio entre universitários indígenas e jovens das aldeias.
 

 

Escrito por Programa Linha Verde

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário