28/03/2015 - Quarenta alunos passam mal em escola

28/03/2015 - Quarenta alunos passam mal em escola

Quarenta crianças da Escola Municipal Professor Vitor Quintiliano passaram mal na manhã de quinta-feira (26) e foram encaminhadas para o hospital de Comodoro (644 km a oeste de Cuiabá), onde receberam atendimento médico. Duas delas ainda permanecem internadas, nesta sexta-feira (27), em observação.

A escola está localizada na Gleba Águas Claras, zona rural, distante cerca de 30 km do município. De acordo com o secretário de Saúde de Comodoro, Vilmondes Pereira,  na manhã de quinta-feira as crianças apresentaram sintomas como; coceiras, dores de cabeça e abdominais. Também há relatos de que algumas delas tiveram vômito, porém o secretário não confirma a informação.

“Quando ficamos sabendo fomos até a escola acompanhados de uma ambulância, um carro da defesa civil e já levamos a medicação, soro para alergia, de acordo com os sintomas relatados”. Ao todo dez alunos, com sintomas mais graves, receberam atendimento ainda na escola, sendo que quatro deles, em estado que exigia mais atenção, foram levados de ambulância até a sede, os demais viajaram em dois ônibus escolares.

No hospital, 25 crianças receberam atendimento, e, até o final do dia todas haviam sido liberadas. Porém, na manhã desta sexta-feira (27), duas retornaram à unidade de saúde queixando-se de dores de cabeça. “Eles festão em observação até o desaparecimento dos sintomas”.

A causa do mal súbito ainda será investigada. Conforme o secretário, alunos relataram que os sintomas apareceram depois que um grupo de estudantes bebeu a água fornecida pela escola. “Fizemos a coleta da água em quatro pontos e encaminharemos o material para análise, mas de imediato já descarto que seja o foco do problema, pois bebi desta água assim como outras pessoas e famílias da região e nada aconteceu”. A água usada na escola é oriunda de uma mina que, segundo o secretário, é potável.

A hipótese de que o mal estar tenha ocorrido devido a alimentação da escola também é rebatida pelo secretário. “Não foi alimento da escola porque eles não tinham merendado ainda. Vamos esperar o laudo para ver o que aconteceu”. A escola foi dedetizada no mesmo dia e resultado da análise da água coletada ficará pronto na segunda-feira (30).

 

Priscilla Silva, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário