28/04/2014 - Rede Globo expõe caos na Saúde, em Cuiabá. Imagens chocantes

 

O jornalista Elias Neto, que ancorou o trabalho de reportagem da Rede Globo (que aqui se chama TV Centro América) sobre a situação de caos que continua a marcar a realidade da saúde pública em Cuiabá

Sim, o que falta no jornalismo de Mato Grosso é reportagem. Deve-se elogiar o trabalho feito, nesses últimos dias, pela equipe de jornalismo da  Rede Globo (que aqui em Cuiabá se chama TV Centro América), com relação ao caos que continua a vigorar no setor de saúde em Cuiabá.

Depois de um ano e quatro meses da administração do prefeito Mauro Mendes, marcada por muitas promessas, a situação que se observa é lastimável. Uma pena – principalmente para aqueles setores da população que dependem do SUS e do atendimento público em Cuiabá – os pobres e os filhos dos pobres.

Dona Eliene e sua filha que chora. Elas bateram em muitas portas e não conseguiram encontrar um médico que as atendesse.

 

 

 

 

 

Dona Eliene e sua filha que chora. Elas bateram em muitas portas e não conseguiram encontrar um médico que as atendesse

A culpa não cabe somente à administração municipal? É verdade, o Governo do Estado e o Governo Federal tem, certamente, também culpa no cartório – mas todo mundo sabe que compete à Prefeitura articular políticas que respondam às demandas populares.

As imagens e os depoimentos registrados pela Rede Globo são, infelizmente, chocantes. O Prefeito Mauro Mendes continua em dívida com a população. Dívida séria, já que um dos seus compromissos eleitorais fora dar um jeito nessa situação calamitosa. Não deu.

O repórter Eriksen Rezende registrou o protesto de dona Maria da Conceição que reclamou que é tratada

O repórter Eriksen Rezende registrou o protesto de dona Maria da Conceição que reclamou que é tratada “como cachorro” nas unidades de Saúde de Cuiabá

Como medida emergencial, a Prefeitura de Cuiabá deverá contratar 40 médicos para trabalhar nas policlínicas da capital e nas Unidades de Pronto-Atendimento dos casos de urgência e emergência. O secretário de Saúde, Werley Peres, declarou que a alternativa visa tentar sanar as dificuldades enfrentadas pela população, que reclama da falta de atendimento nas unidades.

“A contratação é para suprir algumas necessidades de escalas que estamos tendo, principalmente no meio da semana nas policlínicas”, disse o secretário em entrevista à rádio Centro América FM. Peres ressalta que a falta de médicos nas policlínicas se deu no início deste ano, quando os profissionais pediram demissão. Porém, o prazo de contratação não foi estipulado. Os salários variam entre R$ 5 mil a R$ 8 mil.

 O secretário Werley Peres, como tantos outros, empurra o problema com a barriga. Para quem sofre com dores e agonias, nas filas, nas policlinas e na Upa da Morada do Ouro, nenhuma solução no curto prazo. Werley anunciou que novos médicos serão contratados em breve.

O secretário Werley Peres, como tantos outros, empurra o problema com a barriga. Para quem sofre com dores e agonias, nas filas, nas policlinas e na Upa da Morada do Ouro, nenhuma solução no curto prazo – já não tão curto assim, uma vez que a administração de Mauro Mendes assumiu há um ano e quatro meses. Werley anunciou que novos médicos serão contratados em breve.

Segundo ele, grande parte dos contratados era residente e outros aderiram a programas do governo federal. “Muitos médicos acabaram saindo no início do ano e não tivemos, até então, a mesma proporção de contratação”, frisa. Em janeiro deste ano 166 médicos integravam o quadro de saúde, conforme Peres, e atualmente a capital conta com 126 profissionais nas policlínicas.

Ele admite as dificuldades nas unidades de atendimento e conta que nas unidades de pronto-atendimento, por exemplo, as quais deveriam ter seis médicos para atender os casos consideramos menos graves, possui quatro “e no meio da semana chega a ter apenas três profissionais”. Além de regularizar o quadro de profissionais de acordo com a real demanda no serviços de saúde, o Executivo deverá lançar concurso público para efetivar os médicos atuando atualmente sob contratos.

Luiz Gonzaga Neto participou do bem articulado esforço de reportagem da Rede Globo (que aqui se chama TV Centro América)

Luiz Gonzaga Neto participou do bem articulado esforço de reportagem da Rede Globo (que aqui se chama TV Centro América)

Repórteres registraram o esforço de familiares carregando paciente pelos corredores, sem contar com ajuda de ninguém, sequer para abrir-lhes a porta, quando mais para oferecerem uma maca que aliviasse o sofrimento dessas cuiabanas

 

 

 

 

 

Repórteres registraram o esforço de familiares carregando paciente pelos corredores, sem contar com ajuda de ninguém, sequer para abrir-lhes a porta, quanto mais para oferecerem uma maca que aliviasse o sofrimento dessas cuiabanas

 

CONFIRA NO LINK ABAIXO O INTEIRO TEOR DA REPORTAGEM DA REDE GLOBO (que aqui em Cuiabá se chama Tv Centro América):

http://g1.globo.com/videos/mato-grosso/mttv-2edicao/t/edicoes/v/pacientes-reclamam-da-falta-de-atendimento-em-unidades-de-saude-de-cuiaba/3276484/

 

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário