28/05/2014 - Pecuarista Americano quer tornar índios da Marãiwatsédé em grandes fazendeiros

John Carter é um texano de San Antônio. Veio para Brasil em 1996 junto com sua esposa, uma brasileira filha de produtores rurais no Mato Grosso. Compraram juntos a Fazenda Esperança próxima à área da antiga Fazenda Suiá-Missu. Carter fundou o que chama de "insurgência", uma ONG chamada Aliança da Terra que une 712 proprietários rurais dispostos a incluir parâmetros se proteção ambiental no processo produtivo. Mas agora John Carter e a Aliança da Terra estão empenhados em ensinar os Xavantes de Marãiwatsédé a se tornarem grandes pecuaristas, talvez os maiores do mundo. No início de 2013 um grupo de índios xavante liderados pelo Cacique Damião Paridzané recebeu do governo brasileiro uma área de 165 mil hectares. A área foi expropriada da antiga Fazenda Suiá-Missu, um mega projeto agropecuária incentivado pelo governo nos anos 60 como parte da estratégia de ocupação da Amazônia. 

 

Desde 1992 a área estava ocupada por milhares de pequenos produtores rurais que cultivaram Projeto Xavante era fazer os índios criarem raízes na terra e abandonarem o nomadismo pela simples razão de que índios nômades demandam mais terras do que índios aldeados.   Depois de gastar milhões na operação militar que expulsou os agricultores, o governo brasileiro entregou a área aos índios e os abandonou. Sem saber como produzir na área e sem poder viver na terra agrícola como seus antepassados viviam no cerrado, os índios passaram a depender de alimentos doados regularmente pelo Governo para se alimentar.  

 

A área da antiga fazenda Suiá-Missu, agora denominada Terra Indígena Marãiwatsédé, se transformou em um grande paradoxo: índios habituados a viver em regiões de cerrado tendo que se acostumar à vida numa área de floresta transformada em pastos e áreas agrícolas. Grande parte das benfeitorias produtivas existentes no local foram destruídas no processo de desocupação forçada da área. A própria Funai se encarregou de demolir casas, currais e cercas deixando poucas alternativas de produção aos índios.   

 

Abandonados pelo estados os xavantes estão encontrando solidariedade no cowboy texano. A ONG de John Carter tem ajudado os índios a perfurar poços artesianos, reconstruir cercas e currais e iniciar um rebanho bovino. Carter também está ensinado alguns dos xavantes de Damião a se tornarem vaqueiros (cowboys) para manejar bem o gado. A Aliança da Terra também trabalha com os índios para expandir um programa conjunto de combate a incêndios cada vez mais graves. No primeiro período seco depois que a área foi entregue aos índios um grande incêndio queimou mais de 60% da terra indígena.   O acordo de Carter com os índios é simples. A Aliança da Terra ensinará os índios a combater incêndios e criar gado, desde que a tribo adote um plano para apoiar o programa de proteção sustentável da ONG com parte da receita da operação pecuária. "Eu só preciso saber se vocês estão de acordo", disse Carter ao Cacique Damião em um encontro recente. "Quem vai coordenar isso é você, não nós", arrematou.   Talvez por coincidência, Carter chama o trabalho da Aliança da Terra com os xavantes de Damião Paridzané de "Projeto Xavante". 

 

O termo deve ser familiar a Damião e aos xavantes mais velhos. Projeto Xavante foi o nome dado pela Funai a um grande projeto econômico patrocinado pelo governo, iniciado em fins dos anos 1970. Coordenado pelo indigenista Claudio Romero, a primeira edição do Projeto Xavante tinha o objetivo de inserir técnicas agrícolas modernas nas comunidades xavante como forma de levar os índios à auto-suficiência econômica e de demonstrar o potencial deles em contribuir para a economia regional. No fundo, a primeira versão governamental do Projeto Xavante era fazer os índios criarem raízes na terra e abandonarem o nomadismo pela simples razão de que índios nômades demandam mais terras do que índios aldeados.   

 

A proposta de John Carter a Damião Paridzané parece uma reedição não governamental e muito bem vinda do antigo Projeto Xavante. Nenhum xavante hoje pode viver como viviam antes da chegada do homem branco. Se os índios de Damião aprenderam com o cowboy texano como criar gado, os 165 mil hectares de braquiária a Terra Indígena Marãiwatsédé podem se tornar facilmente numa das maiores e mais bem sucedidas fazendas de pecuária do Brasil.   Projetos como esses são um veneno para Funai. Índios autônomos não interessam ao esquema do indigenismo, que usa a indigência indígena para sugar dinheiro público em nome da proteção dos índios. É por isso que os índios não conseguem fazer nada com suas terras sem que a Funai, o Ibama, o ICMBio, ou outro órgão qualquer os impeça. 

 

Uma ONG chamada OPAN (Operação Amazônia Nativa) já sugou milhões do Governo e de embaixadas internacionais para proteger os Xavantes.   o projeto é audacioso, mas que poderá ser uma forma de torna os índios independentes sem influência econômica da Funai. 

 

 

Agência da Notícia

Comentários

Data: 29/05/2014

De: Deputado José Riva

Assunto: meus agradecimentos

Vanessa minha querida, obrigado pelo apoio que você está me dando ai em seu jornal !
Semana que vem já estarei depositando alguma coisa pra você.
Continue assim, só postando as noticias que a minha assessoria te envia.
Deixa esse negócio da minha prisão pra lá, logo o pessoal esquece !
Um grande abraço
Deputado José Riva

Data: 28/05/2014

De: CARIRIZINHO DE GOIÂNIA.

Assunto: TERRA XAVANTE.

FICO ADMIRADO NESSE MOMENTO DE DESESPERO ACREDITA SE EM TUDO. SÓ NA CABEÇA DE ALGUNS SONHADORES ISSO VENHA A ACONTECER, ISSO É CONVERSA PARA BOI DORMIR. QUANTOS ANOS OS CARAJÁS PASSARAM MISÉRIA E PASSAM NA ILHA DO BANANAL, E NÃO EXITE LUGAR NO MUNDO MELHOR PARA CRIAR GADO DOQUE NA ILHA. POR ISSO MEUS AMIGOS A CONSTITUIÇÃO NÃO PERMITE TIREM ISSO DA CABEÇA. JOHN CATER SÓ POR CIMA DE DOM PEDRO OU VOÇÊS SE ESQUECERAM DO NOSSO MAIOR ESTADISTA. SE FOCE ASSIM OS IANOMAMIS CERIAM OS MAIORES PRODUTORES DE ARROZ DO NORTE DO BRASIL. LÁ DEPEJARAM ARROZEIRO TAMBEM, E NADA FOI FEITO.

Data: 28/05/2014

De: PATRAO

Assunto: GRINGO

MALANDRO FINO,ESSE GRINGO,ELE SIMPLESMENTE TA QUERENDO USAR OS XAVANTES,PRA ENGORDAR GADO E SER O COMPRADOR,EXCLUSIVO,COMPRA PELO PREÇO QUE ELE QUER E VENDER PELO PREÇO DE MERCADO,SIMPLESMENTE ISSO.

Data: 28/05/2014

De: Kalixto Guimarães

Assunto: Parabéns Gringo

PARABÉNS GRINGO! Aos poucos vamos assistindo a revelação do dramático filme em que se tornou a historia real da Suiá-Missu. Na destruição da cidadela de Estrela do Araguaia, com a violenta expulsão dos habitantes e produtores de suas propriedades onde o maquinário e a patrulha do Exército Brasileiro ostentava as insignias da Organização das Nações Unidas- "UN", poderosa ONG AMERICANA que controla a rapinagem do domínio territorial e mineral nos países pobres e sem soberania espalhados pelo mundo afora, todos sabiam que John Carter, estava nos bastidores e por detrás das câmeras dirigindo as cenas reais desse cruel filmete de final tão infeliz e ao ,es,o tempo revelador do esquema da grilagem internacional de seu país em cima das republiquetas de bananas...De qualquer forma, Carter esta de parabéns se conseguir civilizar e tirar os índios xavantes da miséria transformando-os em fazendeiros. Pensando bem, os 165 mil hectares de terra toda em pastagem e plantações que foram tomadas dos brasileiros é um pedacinho de chão "bão demais" que dá para o senhor Carter e seu sócio Damião criar um gadinho e quem sabe até fazer uma boa plantação de soja e milho pra exportação. MUITO BOM ESTE PROJETO XAVANTE...

Data: 28/05/2014

De: tera xavante

Assunto: Re:Parabéns Gringo

vc diz ser formado mais parece que não tem o abito de ler seu Calixto
a terra sempre foi dos índios os proprietários com diz o senhor, este são invasores
o JOHN CARTE esta fazendo o que ja de veri ter feito a década de 70...
PARABÉNS JOHN CARTE E SUA ONG.

Data: 28/05/2014

De: Cacique rocinha

Assunto: R-i-v-a

Acho que o senhor Riva sabe sobre isso. Ele, a filha e o genro cassado tem um projeto grandioso para o Araguaia...

Novo comentário