28/06/2011 - 08h55 Fazendas de MT serão fiscalizadas para evitar plantio no vazio sanitário

Equipes do Indea deverão vistoriar cerca de 1,2 mil propriedades.
Descumprimento gera multa de R$ 1.080 mais 2 UPFs por hectare.

Cerca de 1,2 mil propriedades de Mato Grosso serão fiscalizadas no período do vazio sanitário. A intenção é descobrir se as unidades estão respeitando o prazo de proibição do plantio da soja, que começou no dia 15 de junho e se estende até o dia 15 de setembro. O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) irá fiscalizar uma extensão de aproximadamente 7 milhões de hectares em 101 municípios mato-grossenses. Os números são os mesmos observados no vazio sanitário de 2010.

De acordo com o coordenador de Defesa Sanitária do Indea-MT, Carlos Roberto Gomes Ferraz, as equipes estão orientadas em distinguir se houve um plantio involuntário ou se foi proposital. No primeiro caso, ele explica que pode ocorrer germinação da soja em áreas próximas a rodovias. “No transporte do grão, alguns acabam caindo no chão. Com isso pode ocorrer o plantio”. Nesta situação, o produtor responsável ou dono da área será notificado para eliminar as plantas em um prazo máximo de 72 horas.

Já no plantio proposital, o produtor será penalizado com multa de 30 Unidade de Padrão Fiscal (UPF), o equivalente a R$ 1.080, somado a dois UPFs por hectare cultivado, ou seja, mais R$ 72,06. Por exemplo, em uma área de mil hectares, o produtor teria que desembolsar cerca de R$ 73,1 mil. O objetivo do vazio sanitário é reduzir a sobrevivência do fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem asiática da soja, evitando assim ataques precoces da doença na safra seguinte.

 

Vívian Lessa G1 MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário