28/07/2011 - 08h:00 PMs e 300 manifestantes entram em confronto no centro de Cuiabá

Protesto era contra a privatização da Companhia de Saneamento da Capital.
Manifestantes reclamam que foram atingidos por tiros de bala de borracha.

Cerca de 300 pessoas tentaram invadir a sede da Prefeitura de Cuiabá nesta quarta-feira (27) em protesto contra a privatização da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap) e foram contidas por 45 homens da Polícia Militar. No confronto em frente à Praça Alencastro, no centro da cidade, pelo menos três manifestantes ficaram feridos, segundo informaram os representantes do Fórum de Combate à Privatização da Água.

Um dos feridos foi o representante do Sindicato dos Servidores da Justiça Federal (Sindijuf), Pedro Aparecido de Souza, 48 anos. Ele disse que sofreu um ferimento em uma das pernas ao ser atingido por uma bala de borracha. Os manifestantes alegam que os policiais militares usaram balas de boracha e spray de pimenta contra as pessoas que estavam no local. Ainda segundo o sindicalista, as pessoas estavam protestando pacificamente.

Do outro lado, o tenente-coronel Walter Silveira dos Santos, comandante do 1º Batalhão da PM, disse que os manifestantes começaram o protesto ordeiramente, sendo acompanhado por duas viaturas da PM. "As duas guarnições estavam fazendo o balizamento no trânsito quando as pessoas resolveram invadir a prefeitura. Em seguida, foi solicitado reforço policial", comentou.

 

O Comandante do 1º Batalhão contou que os manifestantes arremessaram bombas caseiras e rojões contra os policiais. “Fizemos apenas o isolamento para que o grupo não invadisse a sede de um órgão público, porque havia uma concentração de pessoas que ameaçava invadir. Apenas usamos a força do estado para tentar conter uma violência irracional”, argumentou.

Tiros
Ainda segundo o tenente-coronel da PM, durante o confronto foram disparados apenas dois tiros de balas de borracha para cima e que nenhum foi em direção dos manifestantes. “Um policial militar narrou que apenas disparou os tiros para cima para conter os manifestantes”, contou. O coronel informou também que o PM que atirou balas de borracha não vai responder a nenhuma investigação na corporação.

Walter dos Santos disse ainda que homens da Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) foram acionados para atuar no protesto, mas não chegaram a entrar em conflito diretamente com as pessoas. Ele negou que a PM tenha usado spray de pimenta contra os manifestantes.

O protesto

Manifestante mostra ferimento após confronto.
(Foto: Joab Barbalho / Folha do Estado)

Os manifestantes são contra o projeto de lei que cria a Agência de Regulação do Serviço de Saneamento Básico e Esgotamento Sanitário. Nesta semana, o juiz da 1ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, Cézar Francisco Bassan, decidiu suspender a privatização de abastecimento de água em Cuiabá. Mas a Prefeitura promete re-enviar para a Câmara a mensagem sem alterações para ser novamente apreciada pelos vereadores.

Em nota oficial divulgada à imprensa, o prefeito Francisco Galindo (PTB) disse que o movimento não tem nenhum caráter reivindicatório, mas, apenas de manifestação. O prefeito esclareceu ainda que a criação da Agência não representa uma privatização da Sanecap. O prefeito afirma que todos os direitos dos servidores da Sanecap estarão garantidos em lei, caso os serviços de água e esgoto sejam realizados por meio de concessão.

 

Ericksen Vital Do G1 MT

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário

OS COMENTÁRIOS É DE TOTAL RESPONSABILIDADE DOS INTERNAUTAS QUE O INSERIR. O REPÓRTER DO ARAGUAIA ONLINE RESERVA-SE O DIREITO DE NÃO PUBLICAR MENSAGENS COM PALAVRAS DE BAIXO CALÃO, PUBLICIDADE, CALÚNIA, INJÚRIA, DIFAMAÇÃO OU QUALQUER CONDUTA QUE POSSA SER CONSIDERADA CRIMINOSA. OS COMENTÁRIOS QUE CONTER NOS ITENS CITADOS ACIMA SERÃO EXCLUÍDOS. TODOS OS COMENTÁRIOS SÃO ARQUIVADOS ATRAVÉS DO IP E SERVIRÃO DE PROVAS CONTRA AQUELE QUE USAR ESTE MEIO DE COMUNICAÇÃO.