28/07/2014 - Para Taques, fundos não deveriam existir, mas Fethab precisa funcionar

O ideal seria que o governo do Estado operasse sem depender dos 45 fundos de investimentos em vigor. A opinião é do senador Pedro Taques (PDT), candidato a governador nas eleições deste ano. Ele, no entanto, pondera que, como já estão em funcionamento, é obrigação do Governo fazer com que tragam benefícios para a população, especialmente o polêmico Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab).

 

O Fethab foi criado em 2001 pelo então governador Dante de Oliveira (PSDB), já falecido. Hoje, os tucanos são aliados do senador no processo eleitoral rumo ao Executivo estadual. A proposta era arrecadar verbas que fossem revertidas aos municípios. No ano passado, porém, o governo do Estado admitiu que os recursos dessa fonte de investimento eram usados para pagar o salário dos servidores públicos, além de contribuírem com a conclusão das obras da Copa em Cuiabá.

 

Para Taques, uma vez implementado o Fethab, é essencial que os ganhos cheguem aos principais interessados, que são os mato-grossenses. “São R$ 900 milhões de arrecadação por ano em média. Sou favorável ao Fethab, mas dentro da lei porque é nos municípios onde estão as maiores necessidades. Temos que entender que o ideal seria que não tivéssemos fundos, mas o Fethab foi criado e o Estado precisa cooperar para que funcione”, argumenta o parlamentar.

 

Na semana passada, ele gravou um vídeo para defender a distribuição de 50% dos recursos do Fundo aos municípios, de acordo com a lei aprovada no fim do ano passado pela Assembleia, de autoria de José Riva, também candidato. A gravação foi publicada no Youtube após a divulgação de panfletos apócrifos distribuídos no interior, onde constava a informação de que o pedetista discordava do direcionamento das verbas às cidades e, inclusive, considerava os gestores municipais “incapazes” de aplicá-las adequadamente. 

 

 

Thaisa Pimpão

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário