28/08/2014 - Pedro Taques quer fortalecer atividade mineradora no Estado

Simplificar a política tributária do Estado, assegurando segurança jurídica e competitividade para as empresas de maneira que elas tenham maiores condições financeiras para absorver mão de obra. É o compromisso do candidato ao governo Pedro Taques (PDT-MT) firmado, na semana passada, com garimpeiros da região norte de Mato Grosso, durante agenda de campanha no município de Peixoto de Azevedo.   

 

Em reunião com cerca de 200 representantes do setor, o pedetista afirmou que o governo não pode ser um "atrapalhador" das atividades econômicas. Por isso, pretende implantar ações para que os garimpeiros trabalhem dentro da legalidade, principalmente atendendo à legislação ambiental.   

 

De acordo com o presidente da Cooperativa de Garimpeiros do Vale do Rio Peixoto, Gilson Camboin, em 2013, o setor de extrativismo movimentou cerca de R$ 237 milhões de reais. Em sua avaliação, a região norte do Estado precisa de oportunidades para fortalecer o desenvolvimento dos mais de quatro mil associados dos municípios de Novo Mundo, Guarantã do Norte, Matupá, Peixoto de Azevedo, Nova Guarita, Terra Nova, Apiacás e Alta Floresta.  

 

"A mineração é uma atividade de grande importância para toda região norte de Mato Grosso que tem sofrido grande pressão por parte das grandes mineradoras. Nunca tivemos apoio por parte do governo. Geramos emprego e renda, porém, não tivemos oportunidade de crescer e desenvolver", disse Gilson Camboin.   

 

Para Pedro Taques, a regularização da exploração de minérios garimpáveis em assentamentos rurais, obedecendo ao conceito de sustentabilidade, será uma ação que fortalecerá a economia de toda a região. Ele lembrou que seu plano de governo também prevê apoio técnico e financeiro às diversas cadeias produtivas, além de programas para formação e qualificação de mão de obra.  

 

"O conceito da palavra burocracia, que significa sistema, método, foi desvirtuado no sentido pejorativo. Hoje, a burocracia tem atrapalhado o desenvolvimento do Brasil. A Sema em Mato Grosso, por exemplo, virou sinônimo de atraso. Tudo que o empresário quer é legalidade, transparência e eficiência. No meu governo, cumpriremos o papel de fomentar as atividades econômicas", afirmou o candidato Pedro Taques.

 

 

Redação 24 Horas News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário