28/09/2015 - PÁGINAS AMARELAS: Veja apresenta Pedro Taques como um político diferente

O ex-senador da República foi apresentado pelo jornalista Daniel Pereira como um político com histórico diferente da maioria. Lembrou sua atuação quando procurador da República, quando foi responsável pela investigação de desvio de dinheiro público - uma delas a que resultou na prisão de Jader Barbalho. O jornalista recorda ainda os leitores que Taques enfrentou Renan Calheiros na disputa pela presidência do Senado, em nome da "moralização de certos costumes tão caros às excelências". Ressaltou que mesmo em busca de verbas em Brasília não há "nada que mude seu espírito em relação àqueles que desrespeitam a Constituição e os bons costumes".

 

A publicação de alcance nacional apresenta aos brasileiros um político livre de manchas, independente, defensor dos princípios constitucionais como legalidade, moralidade, da probidade e economicidade. 

 

O entrevistador tratou de temas nacionais, dando oportunidade ao governador para se 'apresentar' à nação.

 

Na entrevista, Pedro Taques criticou a submissão dos Estados à União, disse que o governo federal carece de credibilidade para aprovar o ajuste fiscal e afirmou que a oferta de percentual da CPMF para os Estados é uma desonestidade política. Para o governador de MT, o esquema do mensalão "se desenvolveu na sala ao lado do gabinete do presidente da República e tudo começa a imbricar muito perto daquele que exerce a chefia do Poder Executivo".

 

Pedro Taques defendeu ainda que a presidente Dilma seja investigada na Operação Lava Jato e assinalou que é ilógico não investigar. "Como você saberá se o fato é ou não estranho ao exercício da função sem investigar? A Constituição não proíbe a investigação", assinalou. 

 

Taques disse ainda que a possibilidade do impeachment está prevista na Constituição e que Michel Temer, hoje vice-presidente, foi seu professor de direito constitucional, quando defendeu que oimpeachment é um processo político-jurídico.

 

Análise

A entrevista nas páginas amarelas de Veja não surpreende a redação do Caldeirão Político. Há muito tempo destacamos que o governador Pedro Taques tem um planejamento estratégico definido e todos os seus passos e pronunciamentos têm uma só direção.

 

Desde os tempos das "Diretas Já" Mato Grosso não tinha um político capaz de conquistar o respeito e a admiração dos brasileiros. Nenhum dos políticos mato-grossenses da atualidade e do passado, exceto Dante de Oliveira, ganhou o destaque que Pedro Taques vem conquistando. Os 'ex-tudo" Jayme e Júlio Campos (Democratas), até mesmo o milionário senador Blairo Maggi, Carlos Bezerra (cacique do PMDB-MT) e Pedro Henry (PP), condenado no mensalão e investigado na Lava Jato, conseguiram a projeção que o atual governador vem conquistando. 

 

No atual cenário nacional marcado pela revelação de esquemas fraudulentos que sugaram os cofres da nação em benefício de um grupo político, o governador de MT é apresentado como símbolo de esperança, ética e moralidade. 

 

A sede dos brasileiros por justiça e probidade, a indignação nacional para com o desgoverno e roubalheira generalizada pavimentam o caminho de Pedro Taques, numa escalada planejada e com grande chance de sucesso. 

 

Se o governador não se deixar contaminar ao longo desta jornada, poderá vir a ser, no Estado, como Frederico Campos, único ex-governador lembrado como exemplo de homem probo.

 

 

 

 

Jô Navarro

Caldeirão Político

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário