28/10/2014 - COM 5 ANOS DE CARÊNCIA: Estado assina convênios com BB de R$ 750 mi para obras em rodovias

O governador Silval Barbosa assinou na tarde desta segunda-feira (27), na sede da Superintendência do Banco do Brasil, convênios que totalizam R$ 720 milhões para construções de pontes de concreto e recuperação de estradas dentro dos programas Pró-Concreto (Pontes) e Pró-restauração (rodovias). O prazo de pagamento desses novos empréstimos é de 20 anos, com carência de cinco anos. O Governo de Mato Grosso só começará a desembolsar a partir de 2019, conforme autorização da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

Silval Barbosa destacou que o novo financiamento vai contemplar um programa “bastante arrojado de substituição de pontes de madeira e complementar o MT Integrado. As pontes de madeira que, todos os anos, durante o período de chuva, apresentam problemas, agora serão substituídas por pontes de concreto”. Serão R$ 470 milhões para a construção de 230 pontes em diversas regiões do estado onde programa é realizado. E outros R$ 250 milhões para restauração de rodovias, aquelas que estão bem desgastadas, algumas com mais de 30 anos.

“Estamos assinando esses empréstimos com o Banco do Brasil, com juros bastante acessíveis, com prazo de 25 anos, sendo cinco de carência. O próximo governador, Pedro Taques, vai construir essas pontes e não vai fazer pagamento de nenhuma parcela”, completou Silval explicando que as negociações com o Banco do Brasil iniciaram em 2011 e que os convênios somente foram autorizados agora, após licitação do projeto. Em seguida houve a liberação das licenças ambientais. Depois de licitadas as obras foram buscadas as linhas de financiamento.

O superintendente do Banco do Brasil em Mato Grosso, Luís Carlos Moscardi, disse que o ato de assinatura deixa-o feliz enquanto agente público por poder contribuir com o Estado, senão para resolver todos os seus problemas, ao menos em parte a questão da logística. “É uma alegria não ser apenas um repassador de recursos, mas parceiro de um governo preocupado com o escoamento da produção, de trafegabilidade de um estado de dimensões continentais”, assinalou.

Atualmente em Mato Grosso existem 3.200 pontes de madeira e essa primeira parte do programa irá substituir 230 nas rodovias contempladas com o MT Integrado. Segundo o secretário de Transporte e Pavimentação Urbana, Cinésio Oliveira, 12 rodovias estão com o piso bastante danificado, com mais de 30 anos de uso. Como exemplo citou as rodovias entre Jaciara, Dom Aquino e Campo Verde e entre Primavera e Paranatinga. “As obras já estão licitadas e agora, com a assinatura do termo de financiamento, os projetos serão encaminhados ao Banco do Brasil. A expectativa é que algumas delas possam começar ainda este ano.

 

 

Escrito por João Bosquo

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário