28/11/2015 - AL oficializa CPI, deputados divergem sobre ampliação de investigação

A Assembleia Legislativa oficializou por meio de publicação no Diário Oficial do Estado, que circulou nesta sexta-feira (27), a criação da CPI do MP que investigará pagamentos de mais de R$ 10 milhões por meio de cartas de créditos para membros do Ministério Público Estadual.

Agora os deputados buscam consenso se irão manter os membros já anunciados da Comissão ou se haverá mudança na presidência, designada ao deputado José Domingos Fraga (PSD), que não afirmou não ter interesse na missão.

O deputado impôs algumas condições que serão tratadas na próxima terça-feira (1) em reunião do Colégio de Líderes. Caso as imposições não forem acatadas, o nome que pode suceder Fraga seria do deputado Dilmar Dal'Bosco (DEM) que, por sua vez, já adiantou não ter interesse em assumir a função porque estaria atuando em outras duas CPIs.

O deputado Gilmar Fabris (PSD), líder do bloco da minoria, disse que o 'medo' dos deputados em assumir a responsabilidade seria porque há comentários sobre a ampliação para outros atos do MP. "Alguns querem saber se esta CPI não é para se vingar do MP? Os deputados não querem isso".

A deputada Janaina Riva (PSD) informou que após a reunião do colegiado será colocado um ponto final na questão da escolha dos membros. Ela pondera que a Casa não teria estrutura para ampliar as investigações para outros atos, como benefícios que elevaram em até 50% os salários de membros do MP.

Segundo ela, o líder do governo deputado Wilson Santos (PSDB) recebeu vários documentos sobre outros assuntos ligados ao Ministério Público.

"Não podemos expor o MP que tem credibilidade. Temos que esclarecer este fato das cartas de créditos. Podemos perder o foco e jogar tudo no lixo", comentou a parlamentar.

Do bloco da minoria foram indicados para integrar a CPI, os deputados Leonardo Albuquerque (PDT), relator, e José Carlos do Pátio (SD), membro, e os suplentes José Domingos Fraga (PSD) e Pedro Satélite, ambos do PSD.

Do blocão, foram sugeridos Sebastião Rezende (PR), Eduardo Botelho (PSB), Mauro Savi (PR), Oscar Bezerra (PSB) , Wilson Santos (PSDB) e Dilmar Dal'Bosco.

Outra questão que será discutida na reunião dos parlamentares é a indicação do Dr. Leonardo para a relatoria. O deputado pode ser substituído por causa do princípio de proporcionalidade. O bloco da minoria teria indicado três nomes, mas teria direito a somente dois. 

 

 

Fernanda Leite, repórter do GD

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário